Operação Carnaval: Vigilância faz 196 inspeções no Sambódromo e vistoria 82 blocos

Publicado em 24/02/2020 - 19:30 | Atualizado em 24/02/2020 - 20:40
Técnicos da Vigilância inspecionam o Terreirão do Samba. Foto: Divulgação

Em três dias de atuação no Sambódromo, a Operação Carnaval da Subsecretaria de Vigilância Sanitária da Prefeitura do Rio realizou 196 inspeções em serviços de alimentos (como lanchonetes e cozinhas de camarotes), beleza (como cabeleireiros e tatuadores) e saúde (ambulâncias e postos médicos), entre outros pontos, com 30 infrações aplicadas. Além da Sapucaí, técnicos sanitários vêm vistoriando blocos em diversos bairros da cidade. Incluindo os fins de semana dos dias 8, 9, 15 e 16 de fevereiro, e as ações feitas desde sexta, primeiro dia de carnaval, as equipes atuaram em 84 blocos conferindo a estrutura de saúde (ambulâncias e postos médicos) e transportes usados para a venda de bebidas, com 59 infrações aplicadas, mais de 80% delas por falta de licença sanitária para veículos como ambulâncias e eventos em geral. As demais foram por equipe de saúde incompleta, ausência de posto médico e uma por medicamento vencido.

A Vigilância segue com a operação na Passarela do Samba nesta segunda-feira, 24, inspecionando serviços de alimentos, saúde e beleza, e também áreas comuns, sistemas de abastecimento de água e de climatização, gerenciamento de resíduos e equipamentos essenciais às condições higiênico-sanitárias, como pias, lixeiras com tampa e pedal e dispensadores de sabão líquido e de toalha de papel. No Setor 7 a Vigilância mantém um estande onde técnicos da Superintendência de Educação já realizaram mais de duas mil ações educativas em interação direta com o público, distribuindo folhetos com dicas básicas que ajudam a prevenir riscos e orientando o uso do Totem com os principais serviços digitais da Prefeitura do Rio, como o Taxi.Rio e o Sisbicho, de microchipagem e cadastro no Registro Geral de Animais. No espaço, uma equipe da Secretaria Municipal de Saúde vacinou em dois dias – sábado e domingo – 301 pessoas contra o sarampo, entre trabalhadores e foliões que poderão contar com o serviço nesta segunda, 24, das 17h às 23h.

As equipes da Vigilância também visitaram os postos médicos e ambulâncias da Cidade do Samba. Foto: Divulgação

 

– Muito bom contarmos com esses serviços aqui no Sambódromo. E foi ótimo poder me vacinar – disse o contador Hélio Ricardo, 59 anos e portelense doente.

 

Números de domingo – A ação dos fiscais neste domingo, 23, começou pelo Terreirão do Samba, continuando na Passarela do Samba. Das 77 inspeções do dia, 11 resultaram em infrações, nove delas por ausência de licença sanitária, o que lidera as irregularidades. Os números comprovam. A exemplo dos blocos, do total das 30 infrações aplicadas na área do Sambódromo mais de 70% foram por falta da licença. As demais irregularidades foram por falta de procedência nas embalagens de produtos e conservação de alimentos em temperatura inadequada.

 

– O número de irregularidades no Sambóbromo diminuiu sensivelmente em relação aos últimos anos. Este é o resultado da intensificação das ações educativas e das prévias que iniciamos 40 dias antes do carnaval, inspecionando mais de 1.500 pontos comerciais e realizando centenas de ações orientativas diretamente nos estabelecimentos e em reuniões de alinhamento com fornecedores e organizadores de eventos. Capacitamos também mais de 1.400 profissionais para atuar nos principais pontos de folia e reforçamos a importância da licença, documento que comprova que o estabelecimento foi licenciado por nós e deve ser exigido pelo consumidor. Com essas estratégias conseguimos avançar em muito na prevenção de riscos à saúde da população – orienta Márcia Rolim, subsecretária de Vigilância Sanitária do Rio.

 

A Operação Carnaval reúne no Sambódromo técnicos das coordenações de Fiscalização Sanitária, de Alimentos, de Engenharia e de Saúde; do Núcleo de Inspeção e Fiscalização dos Ambientes de Trabalho (Nifat) e do Laboratório Municipal de Saúde Pública (Lasp), que em três dias coletaram 56 amostras de alimentos para análise. São 73 fiscais distribuídos em equipes atuando até esta terça, 25, e depois sábado, 1º de março, dia do desfile das Campeãs. Eles conferem serviços e pontos de venda de alimentação e bebidas (inclusive no interior de camarotes); a atuação de ambulantes cadastrados; veículos de transporte de alimentos, bebidas e gelo; postos médicos e ambulâncias; serviços de interesse à saúde (como manicures, cabeleireiros, maquiadores, massagistas e tatuadores); e ambientes coletivos (áreas de uso comum, sanitários, locais de descarte de resíduos e  água de abastecimento). No Terreirão, eles fiscalizam 50 pontos de vendas, vistoriando no entorno na Sapucai e Presidente Vargas as condições higiênico-sanitárias de 100 ambulantes cadastrados na área.

 

Principais orientações

Entre as muitas orientações sobre ações básicas que podem prevenir riscos, a Vigilância Sanitária alerta que o consumidor deve observar as condições de higiene dos locais de venda de alimentos e o prazo de validade dos produtos, e sempre exigir que bebidas à base de frutas e gelo sejam preparadas na hora.

 

– Uma dica importante é comprar apenas em comércios com o ok da Vigilância, o que pode ser conferido por meio da licença sanitária que desde o ano passado, como prevê a lei, tem que estar exposta na parede. E mais: qualquer irregularidade ou mesmo suspeita deve ser denunciada à Central 1746 para que uma de nossas equipes providencie a inspeção – orienta Márcia Rolim.

 

Dez dicas para aproveitar a folia com menos riscos à saúde

1- Lave bem as mãos antes de consumir alimentos e após utilizar os banheiros.

2- Observe sempre as condições de higiene dos locais de venda de alimentos.

3- Compre comidas, bebidas e qualquer outro tipo de alimentos apenas em comércios licenciados pela Vigilância Sanitária.

4- Verifique o prazo de validade dos produtos antes de consumir.

5- Confira o rótulo dos produtos industrializados, pois ali estão informações essenciais à saúde.

6- Não consuma alimentos com textura, cor, odor ou sabor alterados.

7- Fique atento ao comprar bebidas à base de frutas. Elas devem ser preparadas na hora do consumo.

8- Cuidado com enjoo, vômito e diarreia. Eles podem ser sintomas de intoxicação e de outras Doenças Transmitidas por Alimentos (DTA), que precisam de atendimento médico imediato.

9- Lembre-se de consumir bastante líquido para se manter hidratado.

10- Caso identifique no comércio alguma irregularidade, como a falta de higiene que ameaça a saúde, denuncie à Central 1746.

Inspeção da Vigilância nas áreas de embelezamento do Sambódromo. Foto: Divulgação