Carnaval 2020: Vigilância Sanitária do Rio inicia ações prévias com foco na saúde pública

Publicado em 24/01/2020 - 15:19 | Atualizado em 27/01/2020 - 19:45
Fiscais da Vigilância durante inspeção no Centro - Foto: Nelson Duarte | Divulgação

Inspeções prévias,capacitações profissionais e muita orientação à população. Essas são as principais frentes da Operação Carnaval da Subsecretaria de Vigilância Sanitária da Prefeitura do Rio, que segue até 14 de fevereiro, sempre de terça à quinta-feira, nos pontos oficiais de folia na cidade. Com foco na prevenção de riscos à saúde pública, a atuação especial começou na última terça, 21. Nesses três primeiros dias, as equipes realizaram 170 vistorias em comércios de 11 vias do Centro, como as ruas Primeiro de Março, São José, Marechal Floriano, Buenos Aires e Sete de Setembro e ainda a Avenida Presidente Vargas.

 

A ação resultou em 73 infrações, como descarte de 25 quilos de produtos impróprios ao consumo e a emissão de 44t ermos de intimação com exigências de adequações a serem cumpridas, como a limpeza e organização de depósitos para o correto armazenamento de bebidas e alimentos,a revisão na rede elétrica e a atualização da licença sanitária. Com roteiros definidos pela Coordenação de Fiscalização Sanitária, a operação conta também com técnicos das coordenações de Alimentos, Saúde e Engenharia; do Núcleo de Inspeção e Fiscalização dos Ambientes de Trabalho (Nifat); e do Laboratório Municipal de Saúde Pública, que coletam amostras de alimentos para análise. Divididos em equipes e de olho nas condições higiênico-sanitárias, eles inspecionam bares,restaurantes, hotéis, quiosques, farmácias, óticas e até consultórios e clínicas médicas na rota dos megablocos e de eventos pré-carnavalescos, como o Festival de Verão do Spanta, na Marina da Glória.

 

Nas ações, os fiscais conferem itens como a procedência, validade, armazenamento e manipulação dos alimentos; o gerenciamento de resíduos e os sistemas de água e climatização; a estrutura de saúde; e até as condições higiênico-sanitárias oferecidas pelos estabelecimentos aos funcionários e clientes.

 

Além da fiscalização de produtos e serviços, os técnicos reforçam as orientações básicas e vistoriam a documentação, como o adesivo que adverte sobre a proibição do fumo em ambientes públicos e a licença sanitária, que devem ser mantidos em local visível. As equipes conferem até mesmo se os profissionais têm o certificado dos cursos de boas práticas de higiene oferecidos pela Vigilância. Na próxima semana a operação será na Lapa e em Santa Tereza.

 

—  Nossas operações especiais começam com as inspeções, que permitem a diminuição dos riscos nos grandes eventos, como o Carnaval, quando mantemos a nossa atuação. Investimos também em ações educativas, como as capacitações em cursos presenciais não só para quem trabalha com alimentos. Qualificamos tatuadores, massagistas e outros profissionais de atividades de estética e de embelezamento, segmentos que muito vêm aumentando nos eventos. São com essas prévias que temos conseguido reduzir as irregularidades, diminuindo expressivamente as infrações, o descarte de alimentos e até interdições, avançando na qualidade dos serviços que chegam à população — diz o médico-veterinário Flávio Graça, superintendente de Educação da Vigilância.

 

Capacitação – Na agenda de cursos da Vigilância que nos últimos três anos cresceram de oito para 40 modalidades e levaram qualificação a quase 55 mil profissionais, há capacitações como a dos ambulantes e quiosqueiros cadastrados para trabalhar no entorno da Sapucaí e do Terreirão do Samba, com a primeira turma marcada para o próximo dia 30. Ainda dentro das ações voltadas ao Carnaval, serão qualificados garçons, chefs de cozinha, manicures,cabeleireiras, maquiadoras, massagistas, entre outros profissionais que estarão em bares, restaurantes, arquibancadas e camarotes da Marquês de Sapucaí. No ano passado, foram mais de mil pessoas capacitadas para trabalharem em pontos de folia.

 

Orientações – A Vigilância vem alcançando grandes resultados com as ações de orientação. Um deles é a diminuição de irregularidades encontradas pelos fiscais durante as vistorias. Em 2019, por exemplo, com a ampliação das prévias, o órgão aumentou as capacitações em 25% (de 719 para 891) e as inspeções em 210% (de 277 para 848), frentes que no Carnaval resultaram em reduções expressivas, como 176% no descarte de alimentos (de 138 quilos em 2018 para 50 este ano) e 23% nas infrações (de 73 para 59). O maior ganho foi na redução de riscos dos alimentos consumidos. Em 2019, das 61 amostras coletadas, apenas três (5%) foram insatisfatórias, com uma redução de 20% do total em relação a 2018, quando das 84 amostras coletadas para análise, 28 (35%) deram resultados insatisfatórios.

 

Confira algumas dicas da Vigilância para a prevenção de riscos

 

1 – Lavar bem as mãos antes de consumir alimentos e após utilizar os banheiros.

2 – Ficar atento às condições de higiene dos locais de venda de alimentação.

3 – Observar o prazo de validade dos produtos antes de consumir.

4 – Conferir o rótulo dos produtos industrializados, onde há informações essenciais à saúde.

5 – Não consumir alimentos com textura, cor, odor ou sabor alterados.

6 – Verificar se os alimentos perecíveis estão mantidos na temperatura adequada.

7 – Não comprar alimentos ou bebidas em comércio clandestino.

8 – Mantenha-se hidratado! Beba bastante água filtrada ou mineral.

9 – Esteja atento a sintomas como enjoo, vômito e diarreia, que podem ser sinais de Doença Transmitida por Alimentos (DTA) e precisam de atendimento médico imediato.

10 – Qualquer irregularidade em estabelecimentos deve ser registrada na Central 1746!