Prefeitura divulga regras para marcação do distanciamento entre passageiros em pé nos ônibus

Publicado em 30/06/2020 - 12:31 | Atualizado em 30/06/2020 - 15:25

A Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Transportes, divulgou nesta terça, 30/06, regras para distanciamento de passageiros que viajam em pé nos ônibus. Os operadores do sistema BRT e dos ônibus convencionais deverão indicar, com adesivos ou pintura no piso dos coletivos, o local onde cada passageiro poderá ser transportado em pé, respeitando o limite de duas pessoas por metro quadrado, conforme estabeleceu a Resolução Conjunta entre a Secretaria Municipal de Transportes e a Secretaria Municipal de Saúde, publicada em 25 de junho de 2020. Assim como nas demais cidades do mundo, as medidas definidas pela Prefeitura no combate ao coronavírus no transporte coletivo são baseadas em evidências científicas.

Os operadores terão cinco dias úteis para providenciar a marcação no piso dos ônibus. Após o prazo estabelecido, os concessionários que não cumprirem a medida estarão sujeitos à multa.

– A marcação nos corredores do coletivos é uma medida simples, mas fundamental para os passageiros, que vão visualizar de maneira clara a distância que devem manter, preservando a saúde dele e dos demais – ressaltou Paulo Jobim, secretário municipal de Transportes.

O adesivo utilizado deverá ser o indicado no Diário Oficial do Município. Porém, o concessionário que desejar apresentar outro modelo, deverá submeter à SMTR para aprovação.

As ações de fiscalização da secretaria seguirão reforçadas nas estações e terminais de maior demanda do BRT e em outros pontos estratégicos da cidade, a fim de verificar a devida indicação no piso dos ônibus e as demais determinações da Prefeitura no combate à Covid-19.

– Estamos acompanhando de perto os serviços prestados pelos operadores e nossas equipes seguirão nas ruas para verificar se a nova e importante medida está sendo cumprida. Neste momento de retomada gradual das atividades, é preciso consciência, responsabilidade e cumprimento dos protocolos sanitários por todas as partes envolvidas – concluiu o subsecretário de Transportes, Allan Borges.