De volta ao Rio, Grande Prêmio do Cinema Brasileiro divulga vencedores na Cidade das Artes

Publicado em 11/08/2022 - 10:57 | Atualizado em 11/08/2022 - 11:59
  • Início/
  • /
  • De volta ao Rio, Grande Prêmio do Cinema Brasileiro divulga vencedores na Cidade das Artes
O filme "Marighella", do diretor Wagner Moura, foi o grande vencedor da noite com oito troféus - Divulgação

Depois de três edições em São Paulo (2019, 2020 e 2021), sendo nos dois últimos anos sem a presença de público por conta das restrições da pandemia de Covid-19, o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro voltou ao Rio de Janeiro e com formato presencial. Na noite de quarta-feira (10/8), na Cidade das Artes Bibi Ferreira, na Barra da Tijuca, o público conheceu os vencedores da 21ª edição da premiação, que contou com apoio da Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria de Governo e Integridade Pública (Segovi) e da RioFilme.

 

– A produção audiovisual tem um potencial econômico incrível, sempre foi muito importante para a cidade do Rio de Janeiro. Buscamos no ano passado e em 2022 voltar a fomentar o audiovisual por meio da RioFilme. E fizemos questão de trazer de volta a premiação para o Rio – disse o prefeito Eduardo Paes durante o evento.

 

Ao todo, foram anunciados 32 prêmios nas categorias longa-metragem, curta-metragem e séries independentes brasileiras, escolhidos pelo amplo júri formado por profissionais associados à Academia Brasileira de Cinema e Artes Audiovisuais. Também foi entregue o prêmio de Melhor Filme pelo Júri Popular.

O grande vencedor da noite foi o filme “Marighella”, dirigido por Wagner Moura. O longa sobre o guerrilheiro conquistou oito troféus Grande Otelo, incluindo Melhor Longa-Metragem Ficção, Melhor Ator (Seu Jorge), Melhor Primeira Direção de Longa-Metragem (Wagner Moura) e Melhor Roteiro Adaptado.

A cerimônia de premiação teve apresentação da atriz Camila Pitanga e Silvero Pereira, que também realizou os números musicais. A direção ficou a cargo de Batman Zavareze, enquanto o roteiro foi escrito por Bebeto Abrantes.

Neste ano, a Academia Brasileira de Cinema e Artes Audiovisuais fez uma homenagem coletiva às mulheres produtoras de cinema, além de celebrar os 60 anos do filme “O Pagador de Promessas”. Baseado na peça teatral homônima do dramaturgo Dias Gomes, produzido por Oswaldo Massaini (1919-1994) e dirigido por Anselmo Duarte (1920-2009), é até hoje o único longa-metragem brasileiro a conquistar a Palma de Ouro do Festival de Cannes, em 1962.

 

– Estamos muito felizes que a RioFilme possa ter contribuído para que o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro voltasse para casa. É muito importante que um evento, com a importância que o GP tem para o setor, seja realizado no Rio de Janeiro. A RioFilme está empenhada e trabalhando para que o Rio seja a Capital do Audiovisual, e o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro é um parceiro importante para que atinjamos esse objetivo – disse Eduardo Figueira, diretor presidente da RioFilme.

 

Confira no site da Academia Brasileira de Cinema e Artes Audiovisuais a lista completa dos vencedores.

  • 11 de agosto de 2022
  • Skip to content