Rock In Rio: Vigilância Sanitária aposta em ações educativas para garantir saúde do público

Publicado em 27/09/2019 - 12:46 | Atualizado em 27/09/2019 - 17:29
No estande Indonésia, da Subvisa, na Rock Street Ásia, boneco da Guarda Municipal e uma bactéria gigante interagem com o público e alertam para hábitos que previnem riscos à saúde. Foto: Jeline Rocha / Prefeitura do RioNo estande Indonésia, da Subvisa, na Rock Street Ásia, boneco da Guarda Municipal e uma bactéria gigante interagem com o público e alertam para hábitos que previnem riscos à saúde. Foto: Jeline Rocha / Prefeitura do Rio

A Subsecretaria municipal de Vigilância, Fiscalização Sanitária e Controle de Zoonoses (Subvisa) atua no Rock In Rio. São 70 técnicos, divididos em equipes multidisciplinares para vistoriar os 215 pontos de serviços, com a coleta de amostras de bebidas e alimentos para análise. Eles também verificam áreas de uso coletivo, como banheiros, gerenciamento de resíduos e a qualidade da água para consumo. Desde janeiro são realizadas medidas preventivas para garantir a segurança alimentar e a saúde dos frequentadores do festival.

Estande da Vigilância Sanitária no Rock In Rio. Foto: Jeline Rocha / Prefeitura do Rio
Estande da Vigilância Sanitária no Rock In Rio. Foto: Jeline Rocha / Prefeitura do Rio

Além das frentes operacionais, a Vigilância – ligada à Secretaria Municipal de Saúde – tem um espaço inédito para mostrar um pouco do trabalho educativo que desenvolve em suas diversas áreas. É o estande Indonésia, na Rock Street Ásia, onde atividades lúdicas – como a teatralização com uma bactéria gigante e um guarda municipal em seu encalço – alertam para hábitos que auxiliam na prevenção de riscos à saúde.

http://noticias.prefeitura.rio/saude/rock-in-rio-vigilancia-sanitaria-capacitou-2-mil-profissionais-e-inspecionou-mais-de-700-estabelecimentos/

– Nossa maior missão é a prevenção, e antes de reprimir é preciso orientar. Agora mesmo para o Rock In Rio investimos firme nas capacitações profissionais e qualificamos 30% a mais do que em 2017. E seguimos realizando as inspeções prévias quando também orientamos. Segundo dados da FAO (Food and Agriculture Organization of the United Nations), 600 milhões de pessoas em todo o mundo adoecem por ano pelo consumo de alimentos contaminados, ou seja, uma em cada dez pessoas. Reforçamos as políticas públicas para mudar essa estatística. E o estande será uma oportunidade diferenciada de interagirmos com o público e mostrarmos o trabalho que fazemos para alertar, por exemplo, para hábitos que ajudam a evitar os perigos de alimentos contaminados – adianta a médica-veterinária Márcia Rolim, subsecretária de Vigilância Sanitária e Controle de Zoonoses do Rio.

“Coisas que você não vê, mas a gente cuida”

Esse é o tema do estande da Subvisa, ilustrado por painéis com imagens de micro-organismos entre frases que remetem aos riscos de doenças provocadas pelo consumo de alimentos contaminados. Em um totem touch screen, o público poderá conhecer detalhes de aplicativos de serviços da Prefeitura do Rio, como o SAUDE.RIO, ZAPCARIOCA, RIO+RESPEITO e o SISBICHO, plataforma digital recém-lançada para o cadastro de animais com chip.

Os visitantes poderão também acompanhar o trabalho da Vigilância em vídeos e outras peças produzidas para o evento. Mas os destaques ficarão por conta do espaço instagramável e da teatralização de um guarda municipal combatendo a ação de uma bactéria com mais de 1.70m de altura. A atividade é resultado de mais uma parceria com a Guarda Municipal, que cedeu guardas do Grupamento de Ronda Escolar para encenar o mascote Justo e a bactéria gigante, sempre das 15h às 19h.

http://noticias.prefeitura.rio/transportes/vai-ao-rock-in-rio-saiba-tudo-sobre-o-esquema-especial-de-transporte-para-o-festival/

Licenças sanitárias

Técnicos da Subvisa numa das ações prévias ao Rock In Rio realizadas ewm setembro no entorno do Parque Olímpico. Foto: Nelson Duarte / Prefeitura do Rio
Técnicos da Subvisa numa das ações prévias ao Rock In Rio realizadas ewm setembro no entorno do Parque Olímpico. Foto: Nelson Duarte / Prefeitura do Rio

O estande estará aberto das 14h às 2h para visitação e atendimento ao público sobre denúncias e reclamações que poderá contar com o serviço de Ouvidoria do órgão e um plantão para a emissão de licença sanitária de última hora. Ao todo, foram licenciados 210 pontos, entre bares, restaurantes e outros estabelecimentos de alimentos, serviços de estética, ambulâncias e postos médicos, entre outros.

Planejamento operacional

As equipes serão distribuídas em inspeções, a atividades educativas e no atendimento ao público em tempo real. São médicos-veterinários, enfermeiros, nutricionistas, engenheiros e outros profissionais das coordenações de Alimentos, Saúde, Engenharia e Fiscalização Sanitária, além do Núcleo de Inspeção e Fiscalização dos Ambientes Coletivos e do Laboratório Municipal de Saúde Pública. Integram também a equipe técnicos da Superintendência de Educação da Vigilância, responsável pelas capacitações, reuniões de alinhamento e todas as demais ações de orientação.

O que será conferido na Cidade do Rock

Alimentos – Comércio e produção de alimentos e bebidas, caterings e alimentação nos camarotes e veículos de transporte de alimentos.

Saúde – Postos médicos, ambulâncias e pontos de serviços de interesse à saúde, como estúdios de tatuadores, cabeleiros e massagistas.

Engenharia – Água de abastecimento, gerenciamento de resíduos, condições estruturais e sistema de climatização nos ambientes coletivos.

Análise laboratorial – Coletas de amostras de bebidas e alimentos para análise no Laboratório Municipal de Saúde Pública (Lasp), que fica em São Cristóvão, no Complexo da Zona Norte da Vigilância. Os laudos são concluídos, em média, em 48 horas.

Dicas para aproveitar o RIR com menos riscos à saúde

1- Lave bem as mãos antes de consumir alimentos e após utilizar os banheiros.
2- Não compre alimentos ou bebidas em comércio clandestino.
3- Mantenha-se hidratado bebendo bastante água filtrada ou mineral.
4- Reclamações e denúncias devem ser registradas na Central 1746.