Prefeitura do Rio empresta remédios essenciais ao tratamento da Covid-19 a quatro estados brasileiros

Publicado em 24/07/2020 - 16:37 | Atualizado

A Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, está ajudando a combater a pandemia de Covi-19 em outros estados do Brasil. O município emprestou medicamentos essenciais ao tratamento da doença para o Rio Grande do Norte, Tocantins e Amapá. Para Santa Catarina – que vive um momento crítico da pandemia – o município intermediou, junto a uma rede hospitalar privada, o empréstimo e a distribuição de remédios no estado.

O pedido de ajuda à Prefeitura do Rio partiu do Ministério da Saúde, diante do cenário de escassez de medicamentos em todo o país, apesar dos esforços do Governo Federal para importação dos produtos e até mesmo para compra de indústrias nacionais.

O empréstimo de medicamentos para tratamento de pacientes graves de Covid-19 internados em leitos de UTI está sendo possível graças ao cenário de estabilização da pandemia na cidade do Rio de Janeiro, que possui mais leitos dedicados à Covid do que a demanda por internações. Hoje o município possui 251 leitos de leitos de UTI e 937 leitos de enfermaria dedicados a tratamento da doença.

“A Covid-19 é uma doença que só a solidariedade vai vencer. A situação da pandemia é gravíssima em todo o país. Felizmente, o pedido de ajuda veio quando a cidade do Rio de Janeiro está com diminuição da taxa de ocupação de leitos, diminuição das notificações de síndrome gripal e queda na comunicação do número de óbitos”, afirmou Beatriz Busch, secretária municipal de saúde.

Santa Catarina foi o primeiro estado a receber o empréstimo emergencial. A Secretaria Municipal de Saúde se articulou junto à Rede D’Or, que emprestou remédios para intubação de pacientes graves de UTI Covid. Foram 800 ampolas de rocurônio e 200 ampolas de Cetamina entregues, em menos de 24h, pela rede privada à rede pública de santa Catarina.

Município do Rio ajudou 22 municípios fluminenses na abertura de 242 leitos

A Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, já cedeu 468 equipamentos de UTI para 22 municípios fluminenses e para o Hospital Universitário Pedro Ernesto (HUPE), que pertence à rede estadual. Com os respiradores, monitores e aparelhos de anestesia cedidos, já foi possível abrir 242 leitos de UTI dedicados ao combate da pandemia de Covid-19. A quantidade é quase a mesma de leitos de UTI Covid-19 abertos na cidade do Rio, que hoje possui 251.

A cessão foi possível porque a Prefeitura está renovando o parque tecnológico da rede municipal de saúde. Nos últimos três anos, foi feito um investimento total de R$ 370 milhões para compra de mais de 18 mil itens, entre eles 27 tomógrafos e 726 respiradores. Os aparelhos cedidos às cidades vizinhas estavam em hospitais da rede e foram substituídos pelos novos.