Orientações para vacinação contra o sarampo para viajantes

Publicado em 11/08/2019 - 17:01 | Atualizado
  • Início/
  • /
  • Orientações para vacinação contra o sarampo para viajantes

A Secretaria Municipal de Saúde informa que é direito de todo cidadão receber as vacinas conforme orientação do Ministério da Saúde, descritas no Programa Nacional de Imunização (PNI), respeitando as faixas etárias e número de doses. Prescrições médicas fora do recomendado pelo PNI, mesmo que estejam de acordo com outros calendários de vacinação, não podem ser feitas nas unidades de Saúde públicas.

A vacina tríplice viral (Sarampo, Caxumba e Rubéola) é recomendada para crianças, sendo duas doses: a primeira aos doze meses e, a segunda, aos 15 meses.

O município do Rio, que não está em surto de Sarampo, segue as recomendações do MS e do PNI.

No dia 31 de julho, o Ministério da Saúde baixou uma Nota Informativa Nº 173/2019, orientando a vacinação contra o sarampo para crianças de seis meses a uma ano de idade que irão se deslocar para municípios que apresentem surto da doença. A vacina precisa ser aplicada pelo menos 15 dias antes da data da viagem.

No último dia 9 de agosto, o Ministério da Saúde baixou outra Nota Informativa Nº 184/2019, orientando sobre vacinação contra o sarampo em municípios que se encontram em situação de surto da doença e recomendando as crianças residentes ou em deslocamento para esses municípios quem tomem a vacina, reiterando que a aplicação deve ser feita 15 dias antes da data da viagem.

Por conta da resposta imunológica à vacina em bebês menores de 12 meses ser menos eficaz, é necessário ainda a aplicação de duas doses após completar 12 meses de vida.

Visto a situação epidemiológica de alguns municípios, a orientação do MS e a articulação com a Secretaria de Estado de Saúde para oferecer a vacina a bebês de 6 a 12 meses incompletos que viajem para locais em surto, o município do Rio de Janeiro, em 9 de agosto, passou a disponibilizar a vacina para essa faixa etária, preferencialmente 15 dias antes da viagem. Reforçando a importância do agendamento da aplicação das doses de 12 e 15 meses.

Apesar da primeira Nota Informativa do MS, que foi publicada no site do Ministério no dia 5, até o dia 9 o Estado – que recebe as vacinas e distribui aos municípios – ainda não tinha informado e oferecido aumento do número de doses disponíveis para a rede municipal de saúde do Rio, o que fez com que usuários que levaram seus filhos de 6 a 12 meses às unidades não recebessem a vacina antes de sexta-feira.

Categoria: Saúde

11 de agosto de 2019