Crivella aceita conversar com governador sobre cessão do Sambódromo

Publicado em 11/03/2019 - 16:56 | Atualizado em 13/03/2019 - 16:11
Público lota o Sambódromo em dia de desfile do Grupo EspecialFoto: Richard Santos/Prefeitura do Rio

O prefeito Marcelo Crivella disse, nesta segunda-feira (11/03), que pode discutir com o governador Wilson Witzel  a cessão do Sambódromo para o estado. No entanto, quer incluir no pacote de negociações a devolução dos três hospitais que foram municipalizados. São eles: Rocha Faria, em Campo Grande; Pedro II, em Santa Cruz; e Albert Schweitzer, em Realengo.

Podemos conversar, sim. Acho que o governador poderia também assumir o Rocha Faria, o Pedro II, o Albert Schweitzer, que são hospitais do estado, e que a Prefeitura, na época em que o estado estava quebrado, assumiu. Então, agora é possível que o estado, já que pode cuidar do carnaval, cuide também dessa parte da Saúde que, cá para nós, é mais importante do que o carnaval – afirmou Crivella, na cerimônia de lançamento do novo portal da Prefeitura, no Palácio da Cidade.

O prefeito lembrou que a maior parte dos recursos arrecadados com o carnaval não vai para o município, mas sim para o estado.

O maior benefício do carnaval vai para o estado. Tem aí o movimento de alguns bilhões de reais. Onde estão esses recursos? Estão na venda de bebidas. Venda de cerveja não paga IPTU ou ISS, paga ICMS, que é do estado – explicou.

Criação da Secretaria de Turismo

Crivella disse que está pensando em criar a Secretaria de Turismo. Segundo ele, um dos projetos que ficaria sob a responsabilidade da nova pasta é um estudo de viabilidade para a construção de um resort integrado, com hotéis, shopping e cassino, na região do Porto Maravilha.

O Rio de Janeiro precisa estabelecer um resort integrado na área do Porto. Isso inclui a aprovação (no Congresso) de uma lei para cassinos. Eu espero que seja um só cassino no Brasil, não é a liberação de todos os jogos, colocar máquinas em tudo quanto é esquina, isso é ruim para o nosso povo. Por que no Porto? Porque, embora esteja no Rio, o Porto pertence a todos os brasileiros.

Parceria com o Governo de São Paulo

Crivella revelou ainda que, durante o carnaval, o governador de São Paulo, João Doria, propôs uma parceria para explorar o turismo de negócios. A ideia é atrair para o Rio nos fins de semana, por meio de promoções de hotéis e companhias aéreas, os turistas que vão à capital paulista para congressos e eventos comerciais.