Planejamento e sustentabilidade do Rio ganham mascote, o Susteco

Publicado em 31/05/2019 - 19:38 | Atualizado em 31/05/2019 - 19:43
O Susteco, mascote do Plano de Desenvolvimento SustentávelO Susteco, mascote do Plano de Desenvolvimento Sustentável. Foto: Reprodução

Você já conhece o Susteco? Não? Então vamos apresentá-lo: Susteco é mascote do Plano de Desenvolvimento Sustentável (PDS) do município do Rio de Janeiro, que está sendo construído por meio da plataforma digital Participa.Rio, com ajuda dos próprios moradores da cidade, iniciativa pioneira no mundo.

O simpático personagem tem uma missão nobre: disseminar hábitos sustentáveis e colaborar para a formação de cidadãos responsáveis no uso de recursos naturais. Sua principal tarefa é estimular a população a participar da elaboração do Plano de Desenvolvimento Sustentável, que é baseado nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), conjunto de metas globais estabelecidas pelas Nações Unidas para que sejam cumpridas pelos países até 2030.

– O Susteco é uma ferramenta super importante para fazer a tradução da linguagem técnica do plano para um linguajar lúdico, juvenil. É o nosso grande embaixador para perceber e tentar entender quais são os anseios de crianças e jovens para a construção de uma cidade melhor – diz a subsecretária de Planejamento e Acompanhamento de Resultados, Ana Carla Prado.

O personagem surgiu de sugestões feitas por alunos da rede pública municipal. Cada escola realizou uma votação para escolher o melhor nome. Depois, as 11 Coordenadorias Regionais de Educação (CREs) elegeram seus vencedores. Ao final, os 11 nomes sugeridos participaram de votação aberta ao público na plataforma Participa.Rio, iniciada em 20 de maio e encerrada no dia 30. Ao todo, 5.500 pessoas deram seu palpite.

Com 942 votos (17,2%), o vencedor foi Susteco, concorrente da 10ª CRE, que abrange os bairros de Santa Cruz, Barra de Guaratiba, Cosmos, Paciência, Guaratiba, Sepetiba e Pedra de Guaratiba. Em 2º lugar, ficou o nome Meambi, sugerido pela 8ª CRE, seguido por Guardião da Terra, da 7ª CRE, e  Zécológico, da 4ª CRE. O boneco foi feito pela equipe da MultiRio.

– Muito importante os alunos participarem de uma votação para a escolha do nome. Para já começarem a incorporar a prática dos valores democráticos, os mesmos que inspiram a gestão participativa implementada na Secretaria Municipal de Educação. Um espaço onde todos unem forças para criar condições adequadas para o avanço e o crescimento da Rede Municipal de Ensino, que, com 1.540 escolas, representa a maior rede da América Latina – observa a secretária municipal de Educação, Talma Suane.

Mas os alunos não se limitaram a sugerir os nomes. Desde o início de abril, professores realizaram uma ação pedagógica com as crianças e adolescentes da rede pública, fazendo um trabalho de conscientização e envolvimento com temas de sustentabilidade e planejamento do futuro da cidade. O objetivo é que a nova geração atue ativamente na elaboração do Plano de Desenvolvimento Sustentável do município.

O plano é dividido em quatro eixos: Mudanças Climáticas e Resiliência; Longevidade e Qualidade de Vida; Igualdade e Equidade; Cooperação e Paz. A proposta é construir uma cidade mais humana para o futuro, melhorando a qualidade de vida e o bem-estar da população, assim como combater as mudanças climáticas e tornar o Rio mais sustentável. A meta é que o poder público e os moradores definam como será a visão da cidade ideal no ano de 2050, bem como suas metas para 2030.

A participação dos cidadãos na elaboração do Plano de Desenvolvimento Sustentável, aberta em outubro do ano passado, é dividida em cinco ondas. No momento, está na terceira, que ficará online na Participa.Rio pelas próximas semanas. A plataforma tem uma área com jogos, quiz e vídeos, e também estudos e informações sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas.

– O Plano de Desenvolvimento Sustentável é um guarda-chuva dos diversos planos do município, como o Plano Diretor, o Plano Orçamentário e os planos de Saúde e Educação, orientando-os numa mesma direção no médio e longo prazos. O PDS amarra transversalmente todos esses planos sob uma ótica de sustentabilidade, que não se restringe à questão climática, é desenvolvimento econômico, longevidade, paz e qualidade de vida – explica Ana Carla.

Para que o Rio alcance as metas em 2030, as ações começam desde já. Mas, para que isso aconteça, a participação das pessoas é fundamental. Visite o Participa.Rio e dê sua contribuição para um Rio (e um mundo) melhor.

Qualquer um pode dar sua opinião sobre o plano, e quanto mais gente, melhor. A coleta de informações – online no primeiro momento e presencial numa etapa posterior – ocorre ao longo de 2019. O PDS será apresentado em 2020 para, em seguida, ser colocado em ação.