Município lança conjunto de ações pela diversidade e contra o preconceito e a discriminação

Publicado em 17/05/2019 - 17:36 | Atualizado em 21/11/2019 - 11:56
Nélio Giorgini, coordenador especial da Diversidade Sexual da Prefweitura, apresenta o Guia da Diversidade LGBT. Foto: Marcelo Piu/ Prefeitura do RioNélio Giorgini, coordenador especial da Diversidade Sexual da Prefweitura, apresenta o Guia da Diversidade LGBT. Foto: Marcelo Piu/ Prefeitura do Rio

A Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual da Prefeitura do Rio de Janeiro anunciou nesta sexta-feira, 17 de maio, Dia Internacional de Combate à LGBTfobia, um conjunto de ações para promoção e defesa da diversidade e o combate ao preconceito e à discriminação por orientação sexual ou identidade de gênero. Foi apresentado o “Guia da Diversidade LGBT: Saúde, atendimento e legislação”, material inédito preparado em conjunto com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Houve também o lançamento da campanha em vídeo “A Nossa Luta é Por Um Rio de Mais Respeito”. A produção relata histórias reais de preconceito contra lésbicas, gays, bissexuais, travestis, homens trans e mulheres transexuais (assista ao vídeo abaixo).

– Precisamos cada vez mais nos unir e, apresentar para a sociedade estudos relevantes, dados, e estatísticas, sobre a importância da luta em prol do desenvolvimento e cidadania das pessoas vítimas de violência e fobia por orientação sexual ou identidade de gênero – destacou o coordenador especial da Diversidade Sexual da Prefeitura, Nélio Georgini, para quem “o momento é de diálogo entre as frentes políticas e as lideranças sociais no combate à LGBTfobia”.

Carolina Casteliano, coordenadora do Grupo de Trabalho Identidade de Gênero e Cidadania LGBTI da Defensoria Pública da União, elogiou a iniciativa da Prefeitura:

– Eventos como esses são espaços de esperanças, que promovem a importância do respeito à população LGBTS e a seus direitos e garantias – afirmou.

Mapa de Violência LGBT no Estado do Rio

Lançado em 10 de Dezembro de 2018, pelo Instituto de Segurança Pública (ISP), em parceria com a CEDS RIO, a primeira edição do Dossiê LGBT+, estudo inédito na área de Segurança Pública no Brasil, apresentou dados sobre a violência motivada por LGBTfobia no Estado do Rio. O documento teve como fonte o banco de dados dos registros de ocorrência da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro (PCERJ), relativos ao ano de 2017, disponibilizados pelo Departamento Geral de Tecnologia da Informação e Telecomunicações (DGTIT/PCERJ).

A solenidade no Palácio da Cidade reuniu representantes e ativistas da causa LGBTI. Nélio Giorgini, coordenador especial da Diversidade Sexual da Prefweitura, apresenta o Guia da Diversidade LGBT. Foto: Marcelo Piu/ Prefeitura do Rio
A solenidade no Palácio da Cidade reuniu representantes e ativistas da causa LGBTI. Nélio Giorgini, coordenador especial da Diversidade Sexual da Prefweitura, apresenta o Guia da Diversidade LGBT. Foto: Marcelo Piu/ Prefeitura do Rio

O estudo apontou que 431 pessoas registraram crimes motivados por LGBTfobia nas delegacias do estado, ou seja, uma vítima por dia, em 2017. Mais da metade dessas vítimas (55%) conhecia os autores da violência, 43,4% desses crimes ocorreram dentro de casa e jovens de 18 a 29 anos somam mais de 40% das vítimas. A violência moral correspondeu a mais da metade (51,4%) das denúncias, seguida da violência física e psicológica, ambas com 22,7%. A maior parte das vítimas era do sexo masculino (59,6%) e da cor branca (54,8%). A Zona Oeste do município do Rio de Janeiro foi a região do estado com maior número de crimes motivados por LGBTfobia.

Produzido em parceria com a Prefeitura do Rio, o dossiê buscou apoiar com dados a elaboração de políticas públicas voltadas ao combate da LGBTfobia, nos diversos meios sociais, além de divulgar os canais disponíveis para o encaminhamento de denúncias que possam prevenir ou combater tais ameaças ou violações.

Sobre o Guia da Diversidade LGBT

O documento reafirma a garantia dos direitos da população LGBT e a prática de políticas públicas entregues por um governo comprometido com o bem-estar de toda a população, independentemente de segmentos, gêneros, credos, convicções ou ideologias políticas. Na busca por políticas públicas que proporcionem uma melhor compreensão sobre esses direitos sociais, a CEDS e a SMS juntaram então esforços para reunir as diversas informações. Da área da saúde, por exemplo, foram reunidas no guia informações sobre processo transexualizador, prevenção e assistência das infecções sexualmente transmissíveis (Aids, hepatites virais, sífilis, etc), profilaxia pré e pós exposição ao HIV, atendimento em casos de emergência, por violência sexual e assistência psicossocial.

O “Guia da diversidade LGBT” será distribuído nas unidades de saúde e está disponível para download no site da CEDS, em http://www.rio.rj.gov.br/web/cedsrio. Versões físicas também serão impressas pela Imprensa da Cidade para uso em ações de divulgação da coordenadoria, para que cada vez mais pessoas LGBT tenham acesso ao conjunto de informações importantes para ter seus direitos resguardados.

Canal de Denúncias 1746

A CEDS Rio em parceria com o canal de atendimento da prefeitura 1746 disponibiliza um canal atendimento direcionado para o público LGBT. Através dele é possível abrir um chamado para casos de preconceito e LGBTfobia no município, tirar dúvidas específicas sobre serviços de saúde para população transexual, como exemplo: hormonioterapia e redesignação sexual, além de informações sobre infecções sexualmente transmissíveis( ISTs), prevenção e tratamento:  https://www.1746.rio/ , aplicativo 1746, telefone 1746.

  • 17 de maio de 2019