Programa atendeu demandas de moradores de Pitangueiras e Zumbi

Publicado em 18/07/2019 - 11:01 | Atualizado em 19/07/2019 - 14:47
O comerciante Sérgio Pereira Valente, de 85 anos, e a esposa, Glória Maria da Silva, 60, levaram a gata da família, de 2 anos, para ser vacinada contra a raiva. Fotos Hudson Pontes/Prefeitura do Rio

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, levou nesta quinta-feira, 18 de julho,  o Cuidar da Cidade à Ilha do Governador, na Zona Norte. Desta vez, o programa, que chega à sua 20 ª edição, vai atender a 155 demandas enviadas à Central 1746, por moradores das comunidades Pitangueiras e Zumbi. Desde janeiro, já foram desenvolvidas mais de 17 mil ações de zeladoria em diversos bairros, em todas as regiões do município.

– A Prefeitura está aqui para fazer, eu diria, a manutenção dessa praça, cuidar dos aparelhos, cuidar do campo de futebol, desentupir os ralos, cuidar das calçadas, tapar buracos, trocar as lâmpadas que estão queimadas, podar as árvores. É a Prefeitura fazendo a manutenção da Ilha do Governador – disse Crivella, que logo em seguida completou:

–  Nós vamos sair da crise, o Rio de Janeiro vai sair até mais fortalecido. São as crises que fazem a gente ser mais forte. Quero aproveitar para agradecer a todos os meus secretários e presidentes de órgãos municipais, que de maneira incansável têm feito sacrifícios junto comigo, mas é um sacrifício que nos dignifica, nos enobrece: trabalhar nos momentos difíceis da nossa cidade.

Nas duas comunidades da Ilha, os órgãos municipais prestaram serviços no perímetro das seguintes vias: imediações da rua Afonso Cláudio; entroncamento da Rua Professor Alberto Méier com Rua Santa Escolástica; imediações da Rua Cesário Aguiar e entroncamento das ruas Serrão e Peixoto de Carvalho.

 

 

Além dos serviços de poda de árvore, tapa-buracos, desobstrução de galerias de águas pluviais, drenagem, retirada de entulhos, melhorias na sinalização viária, iluminação pública e limpeza e remoção de carcaças de veículo, também foi realizada vacinação antirrábica para cães e gatos, por meio da Vigilância Sanitária municipal, e campanha de coleta seletiva de lixo, pela Comlurb.

Coordenador do Cuidar da Cidade, Gustavo Bramili disse que, ao chegar à 20° edição, o programa alcançou um modelo ideal de atuação.

– É claro que sempre buscamos aperfeiçoamentos. Depois de enfrentarmos dificuldades nas primeiras edições, agora temos órgãos públicos mais integrados e mais capacitados. A tendência é só melhorar a prestação de serviços, para atendermos cada vez mais bairros – ressaltou Bramili.

O aposentado Almerindo Soares, de 74 anos, disse ter se surpreendido ao ver a movimentação dos servidores da Prefeitura, logo no início da manhã.

– Que maravilha! Fui comprar jornal como sempre faço e me deparei com um monte de gente dando, vamos dizer, um banho de loja nas ruas do bairro. Estávamos esperando mesmo por um trânsito mais ordenado, melhor sinalizado, e praças mais conservadas – elogiou Almerindo.

O comerciante Sérgio Pereira Valente, de 85 anos, e a esposa, Glória Maria da Silva, 60, levaram a gata da família, de 2 anos, para ser vacinada contra a raiva.

–  Vacinação na porta de casa, praticamente. Não podíamos desperdiçar essa chance – comentou Sérgio.

MAIS SOBRE O CUIDAR DA CIDADE

O Cuidar da Cidade estabelece um calendário de ações que mobiliza diversos órgãos municipais. Atuam servidores da Secretaria Municipal de Conservação (Seconserva), Comlurb, Rioluz, Fundação Parques e Jardins, CET-Rio, Vigilância Sanitária, Guarda Municipal e secretarias de Saúde e Educação. A edição anterior do Programa Cuidar da Cidade aconteceu na Penha, também na Zona Norte.

Há duas semanas, Crivella anunciou investimentos de R$ 100 milhões para a frente emergencial do Cuidar da Cidade, que será ampliado. Nesse pacote, serão tapados 250 mil buracos e aumentada a capacidade de trabalho da Secretaria Municipal de Conservação (Seconserva), que terá o triplo de funcionários nas ruas: de 456 para 1.284.

Criado pelo prefeito e desenvolvido pela Secretaria Municipal da Casa Civil, em conjunto com o Centro de Operações Rio (COR) e a Central 1746, o programa já passou pelos seguintes locais:

ZONA NORTE:
– Tijuca/Praça Afonso Pena;
– Tijuca/Praça Saens Peña;
– Ilha do Governador/Ribeira;
– Rocha Miranda;
– Meier
– Vigário Geral;
– Pavuna;
– Penha.

ZONA OESTE:
– Padre Miguel;
– Santa Cruz;
– Campo Grande;

– Cidade de Deus;

– Inhoaíba;
– Campo Grande / Conjunto da Marinha;
– Vila Valqueire;
– Pechincha;
– Paciência.

CENTRO
 
ZONA SUL:
– Leblon.

  • 18 de julho de 2019