Avenida Niemeyer é fechada nos dois sentidos em cumprimento a ordem judicial

Publicado em 28/05/2019 - 17:27 | Atualizado em 28/05/2019 - 17:47
Avenida Niemeyer foi fechada ao tráfego de veículos em obediência da Prefeitura do Rio a uma determinação da Justiça. Foto: Marcos de Paula / Prefeitura do RioAvenida Niemeyer foi fechada ao tráfego de veículos em obediência da Prefeitura do Rio a uma determinação da Justiça. Foto: Marcos de Paula / Prefeitura do Rio

A Prefeitura do Rio de Janeiro, cumprindo determinação judicial, fechou a tráfego de veículos a Avenida Niemeyer, às 15h20 desta terça-feira, 28 de maio. O Ministério Público entende que há risco de escorregamentos nas encostas da via, por onde passam pelo menos 36 mil veículos por dia. A avenida liga São Conrado ao Leblon, na Zona Sul, e faz parte do eixo que vai da Zona Oeste ao Centro da cidade. A Prefeitura está recorrendo na Justiça para derrubar a ação que impõe o fechamento total da Niemeyer.

O Centro de Operações (COR) montou um esquema com a Guarda Municipal e a CET-Rio para alertar motoristas e orientar sobre os principais corredores de tráfego da região. Algumas vias, como a Rua Mário Ribeiro e a Avenida Borges de Medeiros, estão recebendo impactos maiores com o fechamento da Niemeyer. Moradores do Vidigal estão liberados para entrar e sair da comunidade com acesso no sentido Leblon-São Conrado.

Tecnologia italiana nas obras

Vinte homens da empresa Sopé Engenharia, contratada pela Prefeitura do Rio para obras de contenção de encostas e destruição de pedras que ameaçavam deslizar sobre a via, estão usando tecnologia italiana na região afetada pelos últimos temporais.

– Trata-se de uma massa expansiva, colocada no interior das rochas, em buracos feitos por perfuratrizes, que em contato com a água torna as pedras vulneráveis. Depois elas são cortadas ou trituradas. Isso evita outros métodos, como explosões, que poderiam causar novos deslizamentos – detalhou o engenheiro da Sope, Adilson do Rosário.

Segundo Adilson, sete casas num raio de 200 metros de extensão já foram semi-demolidas.

  • 28 de maio de 2019