Fundação Parques e Jardins faz balanço de suas ações em 2021

Publicado em 30/12/2021 - 15:25 | Atualizado
Ação da Fundação Parques e Jardins - Divulgação / Prefeitura do Rio

Um ano de muitos desafios e conquistas. É assim que a Fundação Parques e Jardins (FPJ), vinculada à Secretaria Municipal de Meio Ambiente, termina 2021 e já se planeja para o novo ano que se inicia. Apesar do orçamento reduzido no início da gestão, seis parques urbanos foram reabertos, com mutirão de limpeza e revitalização. A FPJ entregou à população do Rio espaços renovados para a população passear e ter contato com a natureza. Foram eles: Campo de Santana e Passeio Público, ambos no Centro; Pinto Telles, no Campinho; Recanto do Trovador, em Vila Isabel; Orlando Leite, em Cascadura; e Garota de Ipanema.

Largo da Lapa, Estrada do Galeão, Praça Paris, Boulevard da Rio Branco, Av. Presidente Vargas, escadarias do Grajaú e da Tijuca, e Parque Olímpico também receberam atenção, com replantio e revitalização.

Além das reaberturas, mais de 4.500 árvores e mais de 6.000 arbustos foram plantados pelas regiões arborizadas da capital, entre elas as zonas oeste e norte. Ao todo, 225 praças, jardins e canteiros passaram pelas mãos dos funcionários da fundação, com serviços de jardinagem, limpeza, poda baixa, plantios de árvores e arbustos. E quando o assunto é visita técnica, a FPJ realizou mais de 250, em parceria com associações de moradores.

Os bairros que mais receberam plantio neste ano foram: Jacarepaguá (mais de 1.000 árvores); Paciência; Jardim Sulacap; Ilha do Governador; Campo Grande; Magalhães Bastos; Leblon; Centro; Ricardo de Albuquerque e Irajá.

Outras ações da FPJ em 2021 foram a retomada do Plano Diretor de Arborização Urbana (PDAU Rio), que ficou parado por mais de cinco anos; atualização da base de dados da autarquia de Praças, Parques Urbanos e Jardins do Rio; e conclusão do mapa arbóreo da cidade, em parceria com o IPP e a Comlurb. A ideia desse último é identificar as áreas menos arborizadas na capital.

Para o ano que vem há muitos planos e metas que serão divulgados em breve. Presidente da FPJ, Fabiano Carnevale avalia os desafios enfrentados em 2021:

 

— O grande desafio de 2021 foi arrumar a casa e, principalmente, recuperar a institucionalidade da Fundação Parques e jardins. E nisso acho que a gente foi muito bem sucedido. A Fundação voltou a ser uma das protagonistas das políticas públicas na cidade do Rio de Janeiro.

  • 30 de dezembro de 2021
  • Skip to content