Seop realiza operação para demolir prédio irregular no Recreio dos Bandeirantes

Publicado em 23/03/2022 - 11:04 | Atualizado
O prédio tinha três pavimentos, com três apartamentos por andar, nove deles já construídos - Divulgação

A Secretaria de Ordem Pública (Seop) realiza, nesta quarta-feira (23/3), uma operação de demolição de construção irregular no Recreio dos Bandeirantes, em área sob influência do crime organizado. A edificação é um prédio de três pavimentos localizado na Avenida Armando Ribeiro, que ainda está em fase de alvenaria e não possui qualquer projeto aprovado pelos órgãos públicos.

Ao todo, são três apartamentos por andar, nove deles já construídos, e havia estrutura montada para erguer mais andares. De acordo com levantamento feito pela Prefeitura do Rio, os apartamentos seriam vendidos por R$400 mil cada, totalizando R$ 3,6 milhões de faturamento. O imóvel tinha como principal atrativo a vista para o mar e a proximidade de apenas duas quadras da praia.

 

– A Secretaria de Ordem Pública está no Recreio para mais uma ação de combate às construções irregulares. Temos informações de que os responsáveis pela obra intimidavam os moradores da região para seguirem com as atividades ilegais. De acordo com levantamentos da Prefeitura, cerca de R$ 1,5 milhão foi investido no empreendimento. Então, essa operação é importante para preservar vidas, retomar a ordem pública e mais uma vez asfixiar financeiramente o crime organizado – destacou o secretário de Ordem Pública, Brenno Carnevale.

 

Ainda de acordo com os técnicos da Prefeitura, não há como assegurar as condições de segurança e de conservação do local, uma vez que a construção não possui licença para as obras. Também foram encontrados pontos de furto de energia elétrica na área. As demolições são feitas por equipes da Coordenadoria Técnica de Operações Especiais (COOPE) e da Coordenadoria Geral de Operações Especiais (CGOE), da Secretaria de Conservação.

Também participam da ação agentes da Polícia Civil, por meio da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (DRACO), da Guarda Municipal, da Comlurb, da Rioluz, da Light e da Zona Oeste Mais.

  • 23 de março de 2022