Seop e Gaeco realizam megaoperação para demolição de construções irregulares no Recreio dos Bandeirantes

Publicado em 26/01/2022 - 13:26 | Atualizado em 26/01/2022 - 13:33
Serão demolidas cerca de 20 construções comerciais sem qualquer liberação ou autorização da Prefeitura do Rio - Divulgação

A força-tarefa composta pela Secretaria de Ordem Pública (Seop) e o pelo Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, realizou, nesta quarta-feira (26/1), mais uma megaoperação de demolição de construções irregulares. Dessa vez a ação ocorreu no Recreio dos Bandeirantes, na região do Terreirão, área que sofre forte influência do crime organizado.

Serão demolidas cerca de 20 construções comerciais sem qualquer liberação ou autorização da Prefeitura do Rio, construídas em cerca de 10 mil metros quadrados na Avenida Gilka Machado. Entre os imóveis irregulares, havia academia, mercadinhos, peixaria e uma loja de manutenção de barcos. Todos já haviam sido notificados no fim do ano passado. Foram constatadas ligações clandestinas de água e de energia elétrica.

 

– A Prefeitura do Rio tem como premissa, nas ações de combate às construções irregulares, a preservação da vida das pessoas e a retomada da ordem pública na cidade. A integração com o Ministério Público e com as forças de segurança também permite que a Prefeitura colabore com a segurança pública, especialmente com a demolição de construções ilegais erguidas em áreas que sofrem influência do crime organizado – destacou o secretário de Ordem Pública, Brenno Carnevale.

 

– O Gaeco/MPRJ tem pleno conhecimento de que a construção irregular de imóveis é uma das maiores fontes de renda da milícia. Ações como a de hoje são de extrema relevância para sufocá-los financeiramente – afirmou o promotor de Justiça Michel Zoucas.

 

Também participaram da ação a Guarda Municipal, Secretaria de Conservação, Comlurb, Secretaria de Assistência Social, Light, Cedae e Polícia Militar.

  • 26 de janeiro de 2022