Força-tarefa da Seop com MP realiza operação para demolir construções irregulares no bairro do Anil

Publicado em 11/02/2022 - 13:10 | Atualizado em 11/02/2022 - 13:30
A operação está derrubando oito construções irregulares no Anil - Prefeitura do Rio

A Força-tarefa composta pela Secretaria de Ordem Pública (Seop) e pelo Ministério Público, por meio do Grupo de Atuação Especializada no Combate ao Crime Organizado (Gaeco), realiza nesta sexta-feira (11/2) uma operação para demolir oito construções irregulares localizadas na Rua Araticum, no bairro do Anil, na Zona Oeste da cidade, local que sofre influência do crime organizado.

Durante a ação, foram iniciadas a demolição de um prédio de seis andares com 12 apartamentos; um prédio de cinco andares com 10 apartamentos; um prédio de quatro andares com oito apartamentos; três imóveis onde serão demolidos de forma manual o último andar, além de duas construções em fase de fundação; totalizando oito demolições feitas por equipes da Secretaria de Conservação.

A estimativa é que tenham sido investidos cerca de R$ 5 milhões nas obras. O local é um loteamento que não possui qualquer licenciamento da Prefeitura  e faz parte de diversos processos de fiscalização, notificações, embargos, editais de demolição e laudos de vistorias administrativas.

– Esse é um recado muito claro que a Prefeitura do Rio está dando de que vai continuar combatendo construções irregulares. Essa ação é realizada para preservar a vida das pessoas, pois se trata de um loteamento clandestino construído sem especificações técnicas, além de asfixiar o braço financeiro do crime organizado, tendo em vista que foram investidos cerca de R$ 5 milhões nessas construções. Seguiremos atuando de maneira firme junto com outros órgãos, para que a gente promova a retomada da ordem pública na cidade e o combate cada vez mais severo ao crime organizado – afirmou o secretário de Ordem Pública, Brenno Carvenale.

Também participam da ação a Guarda Municipal, a Secretaria do Meio Ambiente, Secretaria de Conservação, a Subprefeitura de Jacarepaguá, Delegacia de Proteção do Meio Ambiente, Comlurb, Light e Cedae.

– Quem constrói em área proibida e sem nenhum tipo de licença e vende os imóveis sem poder dar nenhuma documentação ou garantia assume o risco. Não comprem esse tipo de facilidade porque o barato pode sair caro. A cidade do Rio é referência no Brasil e no mundo e se a gente quer assumir protagonismo tem que acabar com esses absurdos. O que está errado não pode virar paisagem – alerta a subprefeita de Jacarepaguá, Talita Galhardo.

 

  • 11 de fevereiro de 2022
  • Skip to content