Seop faz operação e retira construções e lava a jato irregulares em Jacarepaguá

Publicado em 19/02/2021 - 16:25 | Atualizado
Agente participa de operação da Seop em Jacarepaguá - Divulgação / Prefeitura do Rio

A Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop) realizou nesta sexta-feira (19/02) ação conjunta de ordenamento para fiscalização do comércio e retirada de estruturas irregulares em Curicica, na Zona Oeste da cidade. Em parceria com a Subprefeitura de Jacarepaguá e a Secretaria Municipal de Conservação (Seconserva), a operação envolveu 70 agentes e contou, ainda, com o apoio da Polícia Militar. Entre os resultados, foram desfeitas seis ligações clandestinas de energia elétrica e uma de água, que abastecia um lava a jato irregular, desmontado pelas equipes.

Ao todo, foram demolidas duas construções irregulares utilizadas para atividade comercial (bar), uma estrutura metálica usada como abrigo para mototaxistas e duas coberturas de lona. Todas as estruturas ocupavam área de passeio público, impedindo a circulação de pedestres nas ruas André Rocha e José Eusébio.

Ainda como saldo da operação, agentes da Coordenadoria de Controle Urbano (CCU), da Seop, apreenderam três carrocinhas, uma churrasqueira, uma tenda, um carrinho e uma placa com ambulantes irregulares. Além disso, dois estabelecimentos passaram por inspeção sanitária, dois veículos foram removidos por estacionamento irregular, e a Comlurb recolheu três caminhões carregados de entulho.

– As coisas irregularidades não podem virar paisagem na cidade em prejuízo do próprio cidadão – destacou a subprefeita Talita Galhardo, que acompanhou toda a ação.

Sobre o lava a jato, foi o segundo desmontado em ações com a subprefeitura da região. O primeiro foi no domingo (14/02), na Rua Iperó, também em Curicica, onde foram encontrados uma ligação clandestina de água e reservatórios amarrados com correntes nas grades de uma escola municipal.

Integrada pela Subsecretaria de Operações (Subop) da Seop, ação desta sexta reuniu ainda agentes da Guarda Municipal, do Instituto de Vigilância Sanitária, da Rioluz, da Light, da Cedae e do 18º Batalhão de Polícia Militar. A força-tarefa utilizou uma retroescavadeira, quatro caminhões e 14 viaturas.

  • 19 de fevereiro de 2021