Prefeitura do Rio doa mil tilápias para a comunidade de Urucânia, em Paciência

Publicado em 08/05/2020 - 16:31 | Atualizado
Distribuição de mil tilápias para famílias carentes em Urucância. Foto: Divulgação/Prefeitura do Rio

A Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, distribuiu nesta sexta-feira (08/05) mil tilápias para os moradores do Conjunto Urucânia, em Paciência, Zona Oeste. Cerca de 200 famílias da comunidade foram beneficiadas e puderam levar para casa 1,5 quilo de peixes.

O Ciep Alberto Pasqualini, ponto de distribuição da doação, está no centro de uma região com um dos menores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) do Rio. O bairro de Paciência está na 112ª colocação entre 126 bairros do município analisados. A escola possui uma das hortas do programa da Prefeitura do Rio que normalmente abastece a merenda dos seus 941 alunos. Com as aulas suspensas, toda a produção de verduras, legumes e frutas tem sido direcionada às famílias mais necessitadas da região.

Claudia Lucia, 50 anos, diarista, foi até o Ciep para receber a doação de peixes. Com a pandemia, ela teve sua principal fonte de renda suspensa. Embora tenha pedido o auxílio emergencial do governo federal, ainda não recebeu nada e enfrenta dificuldades.

– Está tudo muito difícil. Eu rezo todos os dias para que as autoridades olhem pela gente. Essa doação de peixes é um auxílio muito valioso para a gente ter o que comer na mesa. Eu agredeço muito ao pessoal da horta do Ciep de Urucânia por isso – afirmou Claudia.

Kariene Porfírio Lemos, 21 anos, mãe de duas filhas pequenas, depende unicamente do Bolsa Família, mas com o isolamento social passou a ajudar a mãe e a sogra, desempregadas.

– Toda ajuda é bem-vinda. Quando soube que ia ter essa doação, procurei os organizadores para garantir que eu pudesse estar aqui para receber os peixes. É uma dádiva de Deus – afirmou Karine.

A doação marca o início do processo da criação de peixes pelas hortas do programa da Prefeitura do Rio, com o objetivo de reforçar com proteína o cardápio oferecido às populações mais vulneráveis afetadas pela pandemia do novo coronavirus. Por meio de uma parceria com a empresa federal Embrapa, a horta do Jardim Anil, em Jacarepaguá, será a primeira a instalar o sistema de aquaponia – criação de peixes associada ao cultivo de plantas em água. Com 10 tanques com capacidade para 4 mil litros cada, a horta passará a produzir 1 tonelada de tilápias por mês.

– A equipe do programa se sente muito orgulhosa de poder contribuir com a população nesta hora difícil, em especial hoje que a gente está começando um novo ciclo do programa com a introdução da criação de peixes. Esta é a primeira de muitas doações que o programa vai fazer – anunciou Júlio Cesar Barros, gerente de Agroecologia e Produção Orgânica, da Secretaria Municipal de Meio Ambiente.

A doação atende a uma determinação do prefeito Marcelo Crivella que, no final de março, orientou para que toda a produção de alimentos do Hortas Cariocas – cerca de 6 toneladas/mês – seja distribuída gratuitamente às famílias em situação de insegurança alimentar. Desde o início de abril, mais de 5 toneladas de alimentos já foram doadas pelas 42 unidades do Hortas Cariocas localizadas em escolas e comunidades no município do Rio.

Reconhecimento internacional

Criado em 2006, o Hortas Cariocas foi idealizado para ocupar áreas ociosas em comunidades carentes e em escolas da rede municipal. O projeto tinha como meta popularizar o consumo de produtos agroecológicos provenientes do cultivo orgânico. A Prefeitura entra com insumos como ferramentas, uniformes, sementes e mudas. E os hortelões participam do programa como “mutirantes”, recebendo uma ajuda de custo para trabalhar na horta.

Hoje, o programa possui 42 hortas, sendo 18 em escolas municipais e 24 em comunidades, reunindo no total 180 hortelões “mutirantes” que, em tempos normais, comercializam metade da produção gerando renda para os próprios envolvidos. A outra metade é doada para abrigos, asilos e famílias em situação de insegurança alimentar da própria comunidade. Nas escolas, as hortas complementam a merenda dos alunos e também apoiam atividades pedagógicas despertando nas crianças o interesse em comer novos alimentos que ajudaram a plantar.

Ao longo dos últimos anos, o programa tem conquistado o reconhecimento internacional como modelo sustentável de alimentação urbana. No ano passado, o Hortas Cariocas ganhou o prêmio de menção honrosa na categoria Food Production (Sistemas alimentares urbanos) do Pacto de Milão, concorrendo com outros 104 projetos internacionais.