Prefeitura inicia obras para transformar arena olímpica em escolas

Publicado em 22/03/2022 - 13:35 | Atualizado em 22/03/2022 - 14:22
As quatro novas escolas terão capacidade para 245 alunos, cada uma - Beth Santos/Prefeitura do Rio

O prefeito Eduardo Paes, o secretário de Infraestrutura, Jorge Arraes, e o presidente da Rio-Urbe, Rafael Salgueiro, estiveram nesta terça-feira (22/03) no Parque Olímpico para dar início às obras de desmontagem da Arena do Futuro, que recebeu as disputas do handebol durante os Jogos Olímpicos Rio 2016. Nesta primeira etapa, teve início a retirada dos materiais que vão permitir a construção de quatro novas escolas, com 10 salas de aula e capacidade para 245 alunos, cada uma.

– Todas essas estruturas olímpicas já foram concebidas com essa facilidade de desmontagem e para que parte do material, não todo, pudesse ser aproveitado para a construção de escolas públicas. Todas na Zona Oeste. Serão escolas novas. É o primeiro passo para executar o nosso Plano de Legado Olímpico, que ficou largado nos últimos anos – afirmou o prefeito do Rio.

As escolas serão erguidas em Santa Cruz, Campo Grande, Bangu e Rio das Pedras. De acordo com o planejamento inicial, todo o processo levará 18 meses, desde a desmontagem da arena até a construção das escolas com materiais remanescentes.

– Os principais materiais a serem aproveitados são a fachada, as instalações elétricas, hidráulicas, sanitárias e as divisórias, que serão usadas para as salas de aulas. Vamos utilizar também os equipamentos que ficaram no local, como elevadores, tubulação e ar-condicionado – explicou o secretário de Infraestrutura, Jorge Arraes.

Os secretários municipais de Educação, Renan Ferreirinha, e de Esportes, Guilherme Schleder, também participaram da ceriomônia. Responsável pelo ensino municipal, Ferreirinha não escondeu sua alegria pelos novos equipamentos educacionais e destacou a sua importância para a rede.

– É importante deixar claro que tratamos tudo com planejamento pedagógico. As famílias e os alunos foram muitos envolvidos desde o ano passado. E eles estão animados. Para a educação, é um grande legado – frisou Ferreirinha.

 

As escolas serão erguidas em Santa Cruz, Campo Grande, Bangu e Rio das Pedras – Beth Santos/Prefeitura do Rio

 

Mais um compromisso de legado será entregue no Parque Olímpico

Outro compromisso de legado dos Jogos Rio 2016, a transformação da Arena Carioca 3 do Parque Olímpico em um Ginásio Experimental Olímpico (GEO), foi confirmado pelo secretário de Esportes. Serão erguidas 24 salas de aula na instalação que recebeu as competições de taekwondo e esgrima, além do judô paralímpico.

– A Arena 3, que é a administrada pela Prefeitura, atualmente atende mais de duas mil pessoas em diversas modalidades esportivas, como ginástica, musculação, vôlei. Estamos em pleno funcionamento para a prática esportiva e a realização de eventos. Com a transformação em escola, todas as atividades que hoje acontecem na Arena 3 passarão a ser realizadas no Velódromo – disse o secretário de Esportes.

O Parque Olímpico da Barra ocupa uma área de 1,18 milhão de metros quadrados, onde foram construídas para os Jogos Rio 2016 as Arenas Carioca 1, 2 e 3, o Velódromo, o Centro Olímpico de Tênis, o IBC, o MPC e a Via Olímpica, que se juntaram ao Parque Aquático Maria Lenk e Arena Rio.

Com capacidade para 12 mil pessoas, a Arena do Futuro recebeu durante a Rio 2016 as partidas de handebol e golbol.

Na Barra, ocorreram as disputas de 16 modalidades olímpicas (basquete, ciclismo de pista, ginástica artística, ginástica de trampolim, ginástica rítmica, handebol, judô, luta greco-romana, luta livre, nado sincronizado, natação, polo aquático, saltos ornamentais, taekwondo, esgrima e tênis) e nove paralímpicas (basquete em cadeira de rodas, bocha, ciclismo, futebol de 5, golbol, judô, natação, rúgbi em cadeira de rodas e tênis em cadeira de rodas).

  • 22 de março de 2022
  • Skip to content