Ambulante Legal distribui mais 200 crachás para trabalhadores de seis bairros

Publicado em 15/08/2019 - 15:34 | Atualizado
Thomy Nunes, ambulante há 40 anos: crachá para ele é dignidade no trabalho. Foto: Filipe Barboza / Prefeitura do RioThomy Nunes, ambulante há 40 anos: crachá para ele é dignidade no trabalho. Foto: Filipe Barboza / Prefeitura do Rio

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, entregou nesta quinta-feira, 15 de agosto, mais 200 crachás de identificação do Ambulante Legal para trabalhadores que atuam em São Cristóvão, Centro, Caju, Paquetá, Mangueira e Santo Cristo. O programa já alcançou 30 bairros e  distribuiu mais de 2,5 mil documentos do tipo. A ação  proporciona estabilidade e dignidade aos ambulantes, que podem trabalhar legalizados, sem correr risco de ter suas mercadorias apreendidas. E facilita, para fiscais e população, a identificação dos trabalhadores e das mercadorias que vendem.

– O crachá tem valor, representa seu documento. Ele tem a assinatura da Prefeitura, é a lei, o direito que você está recebendo do povo que elegeu o prefeito, a sua autorização. Ali onde você trabalha é o seu local – disse Crivella, antes de distribuir os documentos pessoalmente a cada um dos beneficiados.

Thomy Nunes, 67 anos, ambulante há quatro décadas, vende roupas no entorno da Rodoviária Novo Rio. Com o trabalho de ambulante, criou duas filhas, hoje casadas e formadas em direito (uma delas, delegada de polícia, contou). O crachá no peito é uma conquista para ele.

– Estou muito feliz pelo que o trabalho na rua me deu, sou grato a essa cidade. Hoje estamos recebendo um documento que dá mais dignidade para nós, trabalhadores da rua – afirmou o paraense de Marajó.

Ambulantes aguardam em solenidade no Palácio da Cidade para pegar seus crachás do programa Ambulante Legal. Foto: Edvaldo Reis / Prefeitura do Rio
Ambulantes aguardam em solenidade no Palácio da Cidade para pegar seus crachás do programa Ambulante Legal. Foto: Edvaldo Reis / Prefeitura do Rio

Tecnologia a serviço da transparência

Os crachás para os bairros contemplados nesta quinta são de uma segunda remessa a esses locais. Os documentos dispõem de QR Code, código de barras bidimensional de resposta rápida que permite não só à fiscalização, mas também à população, acessar informações como nome, número de inscrição e mercadorias que o ambulante está autorizado a vender. Além disso, por meio da tecnologia, é possível conferir o local onde o trabalhador está autorizado a atuar.

Criado através do Decreto 44.838/2018, em agosto do ano passado, o Ambulante Legal organiza e facilita a identificação dos ambulantes autorizados a trabalhar na cidade. O programa propõe, inclusive, a implementação de políticas públicas de qualificação profissional aos trabalhadores.

Os seguintes bairros tiveram ambulantes regularizados:

Centro (2 entregas)

Caju  (2 entregas)

Mangueira  (2 entregas)

Paquetá (2 entregas)

Santo Cristo (2 entregas)

São Cristóvão (2 entregas)

Copacabana

Leme

Méier

Feira do Calçadão de Bangu

Campo Grande

Santa Cruz

Vila Kosmos

Anchieta

Cascadura

Coelho Neto

Guadalupe

Irajá

Madureira

Marechal Hermes

Oswaldo Cruz

Parque Anchieta

Pavuna

Ricardo de Albuquerque

Rocha Miranda

Vicente de Carvalho

Vila da Penha

Vista Alegre

Benfica

Saúde.