Alunos da Vila Olímpica da Mangueira se destacam em maratona aquática

Publicado em 24/05/2022 - 13:37 | Atualizado
Os alunos da Vila Olímpica da Mangueira se destacaram na maratona aquática - Prefeitura do Rio

Os alunos da Vila Olímpica da Mangueira participaram da Travessia Poliana Okimoto 2022 e conquistaram cinco medalhas, no domingo passado (22/05), na Praia Grande, em Ilhabela, no litoral norte de São Paulo. Dos nove alunos participantes, cinco subiram ao pódio, conquistando uma medalha de ouro, uma de prata e três de bronze.

Na maratona foram disputadas provas de 500m, 1,5 km, 3 km e 7 km. Marcos Silva conquistou o primeiro lugar na categoria Júnior, na prova de 1,5 km masculino. No 1,5 km feminino, Letícia Lemos ficou com o terceiro, na categoria Infantil. Nos 3 km masculino, Miguel Luiz Pereira ficou em terceiro, na categoria Juvenil, e nos 3 km feminino, Maria Luyza Barros ficou em segundo e Beatriz Batista em terceiro.

– É muito bacana ver os alunos das Vilas Olímpicas representando a cidade em outros estados e tendo destaque em grandes competições – afirma o secretário de Esportes, Francisco Bandeira

Os atletas tiveram a oportunidade de conhecer Poliana Okimoto, ex-nadadora que foi a primeira mulher a conquistar uma medalha olímpica na história dos esportes aquáticos do Brasil.

A equipe começou a ser formada em 2016, pela professora Danuza Siqueira. A primeira competição foi o Rei e Rainha do Mar Kids. Essa é a segunda participação dos alunos na Travessia Poliana Okimoto. No fim do ano passado, eles fizeram a etapa Guarujá e conquistaram 12 medalhas.

– É uma satisfação grande vê-los competindo. No início, a gente só participava de provas em piscina e eles achavam que não iriam conseguir nadar em competições no mar. Com a evolução deles, lancei o desafio em águas abertas. A maioria gostou – diz Danuza.

Os treinos ocorrem três vezes por semana. Próximo às competições, eles são intensificados e passam a ser realizados duas vezes ao dia. A professora, que também participa das provas, destaca o empenho dos pupilos e conta que se orgulha em ver a evolução deles.

– Antigamente, eles nadavam uma prova por travessia. Mas, a partir de dezembro do ano passado, a equipe foi progredindo e a maioria já tem conseguido nadar três provas. Desde a primeira maratona aquática que participamos não teve uma competição em que não tivemos um atleta no pódio. Estamos melhorando cada vez mais e treinando forte para o próximo desafio – conta.

 

  • 24 de maio de 2022