Prefeitura inaugura Casa de Convivência Clara Nunes, no Parque Madureira

Publicado em 28/05/2021 - 12:10 | Atualizado em 28/05/2021 - 13:55
As Casas de Convivência oferecem atividades gratuitas para os idosos - Beth Santos/Prefeitura do Rio

A Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal do Envelhecimento Saudável e Qualidade de Vida, inaugurou nesta sexta-feira (28/05) a Casa de Convivência Clara Nunes, no Parque Madureira, na Zona Norte. A iniciativa marca a retomada de forma gradual das atividades desses espaços, que estavam fechados havia mais de um ano por causa da pandemia.

As Casas de Convivência oferecem atividades gratuitas para os idosos a partir de 60 anos, com o objetivo de gerar impacto direto na promoção da saúde física, mental e emocional dos frequentadores.

A previsão é que a Casa Bibi Franklin Leal, na Tijuca, reabra daqui a 10 dias. Em seguida, será a vez da Casa Padre Velloso, em Botafogo, e gradativamente a Casa Maria Haydee, na Gávea; a Casa Nana Sette Câmara, em São Conrado; a Casa Carmem Miranda, na Penha; e por último a Casa Dercy Gonçalves, em Santa Cruz.

De acordo com o secretário do Envelhecimento Saudável e Qualidade de Vida, Junior da Lucinha, as casas são importantes para o convívio dos idosos, que tanto precisam de atenção e sofreram com o distanciamento social nesse período de pandemia.

 

– Hoje é um dia importante porque estamos inaugurando uma Casa de Convivência no Parque Madureira com o nome de Clara Nunes, que tem toda a simbologia da Portela, de Madureira e de toda a Zona Norte. Nessas casas, temos psicólogos e nutricionistas, são oferecidas várias atividades, como tai chi chuan, memória, artesanato e zumba. Enfim, é uma área onde os idosos convivem entre si, trocam suas experiências, fazem as atividades – destacou, para em seguida completar:

 

– Como as Casas de Convivência ficaram paradas por um ano, por conta da pandemia, aumentou o número de idosos em depressão, que pioraram a diabetes e que a pressão ficou descompensada. A volta das casas vai dar mais qualidade de vida para eles.

 

Para frequentar as casas é preciso já ter tomado a segunda dose da vacina – Beth Santos/Prefeitura do Rio

 

A Casa Clara Nunes fica dentro da sede administrativa do Parque Madureira e funciona de terça a sexta-feira, das 8h às 17h, e aos sábados, das 8h às 12h. Os requisitos para frequentar as casas são: ter 60 anos ou mais e já ter sido vacinado contra a Covid-19, com um intervalo de 15 dias após a segunda dose, apresentando a caderneta de vacinação.

Aulas de dança, artesanato, coral, memória e yoga serão feitas do lado externo dos espaços, seguindo todos os protocolos da Secretaria Municipal de Saúde. As medidas preventivas contra o coronavírus foram adotadas, como o uso obrigatório de máscaras em todas as atividades, além da disponibilização de sabão líquido e álcool gel.

As inscrições já estão abertas. Os interessados devem levar documento de identidade, CPF, comprovante de residência e três fotos 3X4, além da caderneta de vacinação.

 

 

Usuários elogiam iniciativa da Prefeitura

 

A aposentada Fátima Santana, de 66 anos, já fez sua inscrição no local. Pretende fazer dança ou ginástica na Casa Clara Nunes. Ela elogiou a novidade no Parque Madureira.

 

– Faço caminhada diária aqui. É uma questão de saúde. Não quero ficar atrofiada em casa. Gostei muito dessa iniciativa da Prefeitura.

 

A aposentada Maria Lúcia, de 76 anos, frequenta a Casa Bibi Franklin Leal, na Tijuca, desde 2008 e veio prestigiar a inauguração do espaço no Parque Madureira.

 

– A casa de convivência foi a melhor coisa na minha vida. Faço amigos, cuido da saúde e os funcionários são ótimos, atendem bem – elogiou.

 

Com a camisa da escola de samba Império Serrano, o aposentado Álvaro Augusto, de 68 anos, aproveitou a oportunidade e já virou aluno.

 

– É maravilhoso esse lugar. Vou fazer dança. Costumo desfilar no carnaval no Império, na Mangueira e na Portela. Então, tenho que manter a forma – afirmou, abrindo largo sorriso.