Projeto Escolas Conectadas leva wi-fi para salas de aula da rede municipal de ensino

Publicado em 30/09/2019 - 19:11 | Atualizado em 21/11/2019 - 10:42
Professores e alunos na Escola Ceará, em InhaúmaProfessores e alunos na Escola Ceará, em Inhaúma. Foto: Prefeitura do Rio

“A aula vai começar, podem pegar seus celulares!”. A frase, pouco provável há alguns anos e em muitas salas de aula de hoje em dia, virou rotina em 569 dos 1.014 colégios municipais do Rio beneficiados pelo projeto Escolas Conectadas. O programa, que está em andamento em outras 445 unidades de ensino da rede, instala tecnologia wi-fi nas áreas de convivência dos estudantes.

A internet é uma ferramenta facilitadora, utilizada apenas com a orientação dos professores em sala de aula. A Escola Ceará, em Inhaúma, é uma das que já foram beneficiadas pelo projeto, que utiliza o Kahoot, uma plataforma de aprendizado gratuita baseada em jogos.

Os professores criam questionários de múltipla escola e os estudantes participam online, cada um com seu dispositivo (celular, computador ou tablete). Por meio de um login, o educador monta suas aulas, e os alunos usam um código (Game Pin) para acessar o conteúdo. Os testes podem ser feitos em um navegador da web ou do aplicativo Kahoot, que permite atividades individuais ou em grupo.

Kahoot: plataforma de aprendizado gratuita baseada em jogos

Nessa ferramenta, os professores criam questionários de múltipla escola e os estudantes participam online, cada um com seu dispositivo (celular, computador ou tablete). Cada professor, através do seu login, monta suas aulas na plataforma. Os alunos conseguem acessar o conteúdo criado através do código (Game Pin) fornecido pelo educador. Os testes podem ser acessados por meio de um navegador da web ou do aplicativo Kahoot.

O Kahoot possibilita que os alunos participem da atividade individualmente ou em grupos. Ao trabalhar em grupos, os alunos precisam lidar com opiniões distintas e trabalhar a comunicação para chegar a um objetivo comum – no caso, responder corretamente a questão.
A plataforma pode ser utilizada como recurso didático em escolas para revisar o conhecimento dos alunos, para avaliação formativa ou como uma pausa das atividades tradicionais da sala de aula.

  • 30 de setembro de 2019