Prefeitura do Rio retoma a construção de escola em Madureira

Publicado em 28/09/2021 - 14:56 | Atualizado
Unidade vai beneficiar 500 alunos do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental - Beth Santos/Prefeitura

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, e os secretários de Educação, Renan Ferreirinha, e de Infraestrutura, Jorge Arraes, anunciaram, nesta terça-feira (28/09), a retomada da construção da Escola Municipal Luís Carlos da Fonseca, em Madureira. A unidade vai beneficiar 500 alunos do Ensino Fundamental, do 1° ao 5° anos, em horário integral. A escola contará com 12 salas de aula, sala de leitura, biblioteca e quadra poliesportiva.

– Vamos devolver essa possibilidade de ter crianças estudando por mais tempo, de chegar mais cedo e sair mais tarde da escola. Mais aulas de português, matemática e ciências. A Educação é nossa prioridade. Viva a escola pública! – declarou Paes.

Em 2016, a execução da obra chegou a 35%, mas a construção da escola não foi concluída nos últimos quatro anos. A Rio-Urbe, empresa da Prefeitura, já havia finalizado toda a parte estrutural da instituição, que se desgastou com o tempo, e agora os trabalhos serão retomados no local. A previsão é que os alunos possam retornar à unidade totalmente renovada em sete meses.

– Essa escola foi sonhada por Madureira e feita para vocês, crianças. Vamos ter um espaço digno e de pertencimento. Estamos retomando a Fábrica de Escolas em Madureira, no coração do subúrbio carioca, para que possamos fazer com que todas as crianças tenham acesso a uma escola pública de qualidade – destacou o secretário de Educação, Renan Ferreirinha.

 

Escola contará com 12 salas de aula, sala de leitura, biblioteca e quadra poliesportiva – Beth Santos/Prefeitura

 

O colégio Luís Carlos da Fonseca fazia parte do projeto Fábrica de Escolas do Amanhã, idealizado nas gestões anteriores do prefeito Eduardo Paes. Pelo programa, seriam construídas 24 novas escolas nesta região. Até 2016, foram entregues 16 unidades e as outras oito seriam concluídas pela última administração.

O contrato de construção foi retomado em 2020, porém somente uma nova unidade, a Cívico Militar, foi erguida. As outras sete tiveram as obras paralisadas.

– Pretendemos concluir essa obra em sete meses, usando o saldo do contrato que, infelizmente, ficou paralisado nos últimos quatro anos. Como essa escola é em tempo integral, para 500 alunos, é muito importante que esteja funcionando em toda a sua capacidade – afirmou o secretário de Infraestrutura, Jorge Arraes, ao lado do subprefeito da Zona Norte, Diego Vaz, e do presidente da Rio-Urbe, Rafael Salgueiro.

Vizinha da escola, a auxiliar administrativa Jane de Oliveira, de 61 anos, disse estar feliz com a iniciativa da Prefeitura.

– Estava fazendo falta. Vai ser ótimo para a criançada e agitará o bairro. Tenho esperança de um 2022 melhor, sem pandemia e com essa novidade. Foi o melhor presente – ressaltou.

  • 28 de setembro de 2021