Escolas municipais colaboram para a criação do Plano de Desenvolvimento Sustentável e Ação Climática do Rio

Publicado em 06/11/2019 - 17:57 | Atualizado
  • Início/
  • /
  • Escolas municipais colaboram para a criação do Plano de Desenvolvimento Sustentável e Ação Climática do Rio
Escolas municipais colaboram para a criação do Plano de Desenvolvimento Sustentável e Ação Climática

Uma ação pioneira da Prefeitura do Rio, desenvolvida em parceria com representantes de pais e responsáveis de alunos das escolas municipais, está servindo de base para ajudar a estruturar o Plano de Desenvolvimento Sustentável e o Plano de Ação Climática do Rio. Até o dia 14/11, porta-vozes do Conselho Escola Comunidade de todas as regiões da cidade estarão debatendo o tema em nove encontros. O documento, a ser lançado no primeiro semestre de 2020, visa alinhar os Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável da ONU e a Agenda 2030 em um texto inspirado nas proposições por uma cidade mais solidária e justa para todos. Nesta quarta-feira, dia 6/11, foi realizado um encontro na Arena Carioca Fernando Torres, no Parque Madureira, com representantes da Secretaria da Casa Civil, através da Subsecretaria de Planejamento e Acompanhamento de Resultados e seu Escritório de Planejamento, Secretaria Municipal de Educação, Organização das Nações Unidas-Habitat e C40, grupo de grandes cidades para o combate às mudanças climáticas, do qual o Rio de Janeiro faz parte.

A consultora do C-40, Bárbara Barros, acredita que os diálogos em casa sobre o trabalho dos professores e o currículo escolar têm potencial de ampliar o que será formalizado no texto final do Plano.

— São os pais que colocam as ações que vão transformar a cidade. É interessante ver que os pais que têm filhos em escolas que estão trabalhando as ações sobre mudanças climáticas e desenvolvimento sustentável querem trabalhar esses temas nas suas propostas. Isso demonstra que a participação da família na escola beneficia a todos.

Cerca de 60 responsáveis de alunos que atuam diretamente nas escolas municipais através do Conselho Escola Comunidade da 5ª e 6ª Coordenadoria Regional de Educação realizaram dinâmicas de grupo sobre diferentes questões que se relacionam com as unidades escolares e com os bairros onde moram. Para a coordenadora de estratégias de planejamento do Escritório de Planejamento da Subsecretaria de Planejamento e Acompanhamento de Resultados da Casa Civil, Aline Xavier, o convite aos pais é essencial para a concretização do Plano de Desenvolvimento Sustentável e Ação Climática.

— A participação do Conselho Escola Comunidade é fundamental porque as crianças, jovens e pais são grandes agentes transformadores e parceiros na construção do Plano e na sua divulgação em suas localidades. Queremos criar redes para contribuir nas escolas e temos observado que a sustentabilidade, por exemplo, é algo já realizado nas unidades de forma muito ativa. Isso dá um embasamento muito bom para os pais e os alunos — disse a coordenadora.

Dinâmicas propositivas

Os responsáveis de alunos foram convidados a participar de atividades em grupo para apresentarem suas ideias para uma cidade melhor. Divididos em quatro eixos temáticos — Longevidade e Bem-Estar; Mudanças Climáticas e Resiliência; Cooperação e Paz; e Igualdade e Equidade —, os pais de estudantes realizaram tarefas em grupo e apresentaram suas ideias. No começo, foram coletadas as ações já realizadas nos territórios onde se localizam as escolas. Em seguida, os responsáveis foram questionados sobre o que poderá ser realizado através de grupos, organizações ou em uma ação da Prefeitura. Por fim, as propostas dos grupos temáticos foram compiladas e apresentadas. Este material será analisado por um comitê técnico, formado por 40 especialistas da Prefeitura do Rio.Escolas municipais colaboram para a criação do Plano de Desenvolvimento Sustentável e Ação Climática

Propostas

Luciana Tuszel, coordenadora do projeto ONU Habitat, destaca que abrir espaço para a participação da sociedade é fundamental para alinhar ações que farão diferença no Plano.

— Adaptar a Agenda 2030 para o Rio de Janeiro, com o apoio desses pais, gera várias contribuições importantes como capacitações, desenvolvimento de espaços verdes, hortas. Eles são agentes transformadores e têm propostas interessantes que vamos acolher.

A representante da Escola Municipal Mário Paulo de Brito, em Irajá, Adriana Gomes, participou da mesa de Envelhecimento e Bem-Estar e indicou que é preciso que as escolas reforcem sempre a importância da alimentação saudável.

Escolas municipais colaboram para a criação do Plano de Desenvolvimento Sustentável e Ação Climática— As escolas pedem para que não leve alimento de casa, pois evita que os alunos adquiram hábitos ruins logo cedo. Nas unidades existe um cardápio indicado por nutricionistas, auxiliando a ação das merendeiras. Mesmo assim, alguns alunos levam lanche, o que é errado. Seria interessante pensar em campanhas para que os pais se conscientizem dessa questão — sugeriu a mãe de aluno.

Este foi o quinto encontro com os representantes do Conselho Escola Comunidade. O primeiro evento ocorreu no último dia 29/10, na Escola de Formação Paulo Freire. Além disso, os pais já debateram os temas na Escola Municipal Orsina da Fonseca, na Tijuca, no dia 30/10; no Auditório da 3ª CRE, no Engenho Novo, no dia 31/10; e na Escola Municipal Grécia, em Brás de Pina, no dia 01/11.

Segue o calendário dos próximos encontros:

11/11 – 7ª CRE – Escola Municipal Pio X, no Tanque
12/11 – 8ª CRE – Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo
13/11 – 9ª CRE – Centro Interescolar Estadual Miécimo da Silva, em Campo Grande
14/11 – 10ª CRE – Centro Cultural Princesa Isabel, em Santa Cruz

  • 6 de novembro de 2019