Prefeitura recebe profissionais de Médicos Sem Fronteiras nos restaurantes populares

Publicado em 03/06/2020 - 11:41 | Atualizado em 03/06/2020 - 13:02
Equipe do Médicos Sem Fronteiras em ação com clientes do Restaurante Popular de Bangu. Foto: Mariana Ramos / Prefeitura do Rio

Os frequentadores do restaurante popular de Bangu recebem, na própria unidade, atendimento dos profissionais da organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF). É uma ação de triagem de casos sintomáticos da Covid-19. Entre 10h e 15h, dez promotores de Saúde entrevistam as pessoas para identificar sintomas. Além disso, a equipe passa informações de prevenção do novo coronavírus.

– Desde o início da pandemia, os restaurantes populares estão trabalhando, com afinco, para evitar a propagação da COVID-19, com medidas de distanciamento, higiene. Poder contar com os profissionais de MSF, nesse momento, reforça os cuidados que temos tido com nossos frequentadores – afirma Cláudio Souza, secretário municipal de Desenvolvimento, Emprego e Inovação.

As equipes do MSF estão desde o início de abril realizando ações de combate e prevenção à COVID-19 no Rio de Janeiro. O objetivo é permitir que aqueles com maiores dificuldades de acesso à saúde possam ser orientados sobre como prevenir-se contra a doença, e que aqueles que tenham sintomas recebam cuidados médicos.

 

Equipe do Médicos Sem Fronteiras em ação com clientes do Restaurante Popular de Bangu. Foto: Mariana Ramos / Prefeitura do Rio

 

E quem estiver com sintomas?

Os sintomáticos serão convidados a passar na consulta com os enfermeiros e, se necessário, dependendo da gravidade dos sintomas são atendidos por uma médica. Os casos graves serão encaminhados à emergência do SUS, na ambulância de MSF.

Medidas contra o corona

Os funcionários dos restaurantes estão controlando a distância das pessoas nas filas, respeitando o espaço de, pelo menos, um metro. As filas estão sendo feitas do lado de fora das unidades e a entrada controlada para evitar aglomerações. Também estão controlando os lugares das mesas, sempre pulando um banco de uma pessoa para outra.

E orientando a todos os usuários sobre a higiene das mãos, estimulando cada um a lavá-las, antes e depois, de fazerem as refeições, além da utilização do álcool gel, que está disponibilizado em todo o salão. Além disso, há a divulgação de áudio interno e cartazes com medidas de assepsia.

 

Equipe do Médicos Sem Fronteiras em ação com clientes do Restaurante Popular de Bangu. Foto: Mariana Ramos / Prefeitura do Rio

 

Como funcionam os restaurantes?

O restaurante de Campo Grande foi o primeiro dos três Restaurantes Populares municipalizados pela SMDEI a ser aberto no município do Rio de Janeiro. Estava fechado desde setembro de 2016. O de Bangu começou a funcionar em agosto de 2017 e o de Bonsucesso em fevereiro de 2018.

Os três abrem de segunda à sexta-feira para café da manhã, das 6h às 9h, e para almoço das 10h às 15h. O café da manhã custa R$ 0,50 e inclui café com leite, pão com margarina e fruta. O almoço, a R$ 2,00, inclui arroz, feijão, carne, salada e sobremesa e uma bebida.

Os restaurantes são equipados com o que há de melhor em termos de qualidade nutricional dos produtos servidos, do cardápio sempre muito bem elaborado e da equipe que faz tudo isso acontecer com um serviço oferecido de primeira.