Convênio entre Prefeitura do Rio e Fiocruz vai resultar em capacitação de técnicos do município

Publicado em 19/12/2019 - 14:15 | Atualizado em 19/12/2019 - 14:15
O convênio entre a Prefeitura do Rio e a Fiocruz foi assinado no Palácio da Cidade, em Botafogo. Foto: Edvaldo Reis/ Prefeitura do Rio

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, assinou na manhã desta quinta-feira, 19 de dezembro, um convênio com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), pelo qual o governo municipal cede o uso, por 20 anos, de um imóvel de dois andares, localizado no Complexo Juliano Moreira, em Jacarepaguá, para que a instituição o utilize como centro de pesquisas na área fitoterápica. Em contrapartida, a Fiocruz vai capacitar técnicos para a atuação, não só no setor fitoterápico, mas também na agricultura familiar, orgânica, agroecológica, análise do solo e de água, plantio sustentável, entre outros.

– Em breve vamos montar os calendários com os cursos, datas e duração. Dar uma destinação tão nobre a esse prédio, que está sem utilização há 15 anos, nos enche de orgulho. Ainda mais que o município não vai gastar nenhum centavo e terá capacitação da Fiocruz, tida como referência mundial em tecnologia voltada para o meio ambiente – afirmou a subsecretária da Secretaria de Desenvolvimento, Emprego e Inovação, Lícia Marca, ressaltando que o prédio, que será recuperado e equipado pela Fiocruz, tem 3.392 metros de área construída.

Para a presidente da Fiocruz, Nisia Trindade, a parceria é estratégica para o município e muito importante para a instituição, no momento em que a Fundação comemora 120 anos de existência.

– É estratégica porque o imóvel fica numa região de Mata Atlântica e vai possibilitar que possamos unir o núcleo de biodiversidade da instituição, com o objetivo de desenvolver produtos fitoterápicos. Novos medicamentos vão beneficiar a população em geral – comentou Nísia, lembrando que a manutenção e utilização do imóvel ficarão a cargo da unidade Farmanguinhos, com sede em Manguinhos.