Boletim mostra que economia do Rio voltará ao patamar pré-Covid em setembro

Publicado em 19/07/2021 - 15:01 | Atualizado em 20/07/2021 - 14:19
Paes espera atrair novos investimentos para a cidade e assim gerar novos empregos - Fabio Motta/Prefeitura do Rio

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, e o secretário de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Simplificação, Chicão Bulhões, divulgaram nesta segunda-feira (19/07) o Boletim Econômico do Rio, no Palácio da Cidade, em Botafogo, na Zona Sul. O documento compila e analisa os dados da economia carioca nos últimos meses. O diagnóstico da situação ajuda nas tomadas de decisões e na elaboração de políticas públicas.

De acordo com o boletim, se mantiver o ritmo de crescimento do ano, a economia carioca deve voltar ao patamar pré-pandemia em setembro. A aceleração da campanha de vacinação contra a Covid-19 permitiu um aumento na estimativa do PIB municipal deste ano, que deve apresentar um crescimento real de 5%, após queda estimada de 5,6% em 2020. Outro ponto positivo é que o mercado de trabalho também cresceu nos últimos meses. De janeiro a maio deste ano, foram gerados 16 mil empregos novos. Sendo metade apenas no último mês. Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), a maior parte é no setor de serviços, segmento da economia carioca que mais emprega pessoas.

– Entendemos que esta cidade tem um enorme potencial. Temos uma secretaria que busca atrair investimentos, trazer para um balcão único todos os processos de licenciamento e facilitar a vida daqueles que desejam empreender na cidade do Rio. Como consequência, esperamos mais riqueza, investimentos e empregos sendo gerados – disse o prefeito Eduardo Paes.

Desenvolvido pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Simplificação (SMDEIS) para acompanhar o comportamento da economia no município, o Indicador de Atividade Econômica (IAE-Rio) apresenta uma tendência de melhora nos últimos meses. O indicador cresceu 5,2% em abril, na comparação com o mesmo mês do ano passado. Nos quatro primeiros meses do ano, a alta do IAE-Rio foi de 0,8%, em comparação com o mesmo período em 2020.

– Queremos tornar o Rio a melhor cidade da América Latina para abertura de empresas e licenciamento de obras. Principalmente, para negócios de baixo impacto, que representam mais de 80% da economia do Rio. A gente quer que você abra a sua empresa super rápido e seja fácil de formalizar, porque isso permite acesso a crédito, recolher os impostos e fazer contratações de maneira correta. Isso traz cidadania, dignidade e diminui a desigualdade – afirmou o secretário Chicão Bulhões.

 

Chicão Bulhões: ‘Queremos tornar o Rio a melhor cidade para abertura de empresas’ – Fabio Motta/Prefeitura do Rio

 

Apesar de o consumidor estar sentindo o aumento dos custos, a taxa de inflação no Rio ficou abaixo da taxa brasileira. Nos últimos 12 meses (terminados em abril), o índice ficou em 6,6% contra 8,1% do nacional. A elevação dos preços na cidade foi puxada principalmente pela alta de 13,2% na alimentação do domicílio (mercado) e 9,6% nos preços administrados pelo governo (como combustível, gás de cozinha, energia elétrica).

A taxa de desemprego, que já vinha crescendo desde 2017, teve um aumento de três pontos percentuais no primeiro trimestre de 2021, em comparação com o mesmo período de 2020. No início do ano passado, ainda sem pandemia, o índice era de 13%. Um ano depois, já com os impactos da crise econômica decorrente do surto de Covid-19, a taxa chegou a 16%.

 

Ajuda econômica e simplificação

Nos primeiros seis meses de gestão, a SMDEIS focou em iniciativas para minimizar os efeitos econômicos da pandemia e para modernizar e otimizar os processos de licenciamento. Entre os principais projetos estão:

Crédito Carioca

Linhas de crédito para micro, pequenas e médias empresas que buscam ampliar seu negócio, financiar equipamentos ou obter capital de giro. Parceria com a Invest.Rio e instituições financeiras privadas.

Auxílio Empresa Carioca

Auxílio para micro e pequenas empresas que precisaram fechar durante o período de medidas mais restritivas, em parceria com a Câmara Municipal de Vereadores.

Licenciamento Integrado (Licin)

As licenças de obra que antes demoravam até 267 dias, agora são emitidas em até 30 dias, trazendo mais investimentos e tornando o Rio a melhor capital do Brasil para a construção civil.

Transformação digital

Digitalização dos novos licenciamentos urbanísticos e ambientais e, até o final de 2021, de todo o acervo de processos da Secretaria.

PL da Liberdade Econômica

Projeto de lei que garante autonomia para quem deseja empreender sem enfrentar muitas burocracias e elimina a necessidade de alvará para atividades de baixo risco.

Dentre os projetos em andamento, são três principais vertentes: tecnologia, regulação e economia. Na primeira, está a construção do Porto Maravalley, um polo de inovação e tecnologia no coração da Zona Portuária e a disputa para que o Rio seja a sede do Websummit 2022, um dos maiores eventos de inovação e tecnologia do mundo.

Na parte de leis e regulação, está sendo estudada a criação de um Sandbox, um espaço controlado para experimentar políticas públicas e novos modelos de negócio para a cidade, além de uma análise completa do estoque regulatório para promover a melhor organização legislativa das normas sobre licenciamento urbanístico e ambiental e da construção de uma metodologia para avaliar o impacto de políticas públicas. Já o laboratório de inovação será um espaço de integração entre academia, governo e sociedade para trazer ideias e aperfeiçoamentos para políticas regulatórias de desenvolvimento econômico.

Por último, o Observatório Econômico do Rio será um site com dados, análises, notas técnicas e estudos especiais sobre a economia da cidade. Está sendo desenvolvido também um programa de educação financeira que visa capacitar jovens cariocas a partir dos 14 anos com noções básicas de como lidar com o dinheiro, além de um curso de programação para este mesmo público, com objetivo de tornar o Rio um dos principais polos de startups e inovação.

Metas do planejamento estratégico

Dentro do planejamento estratégico da cidade, a SMDEIS tem quatro metas a serem alcançadas até 2021. Uma delas é reduzir a taxa de desemprego anual do Rio de 14,7% (média de 2020) para 8% até 2024, ficando abaixo da taxa de desemprego anual brasileira. A secretaria também buscará fortalecer o crescimento da economia carioca, após a forte recessão de 2020, visando o crescimento de 3% ao ano, em média, do Produto Interno Bruto (PIB) do Rio entre 2021 e 2024.

As outras duas metas são: tornar o Rio a melhor cidade da América Latina em termos de prazos para abertura de empresas e licenciamento de obras, segundo a metodologia do Banco Mundial “Doing Business”, até 2024; e atrair e fomentar a criação de 400 novas startups na cidade do Rio até 2024.