Defesa Civil do Rio realiza simulado de desocupação em áreas com risco de alagamentos na Zona Norte

Publicado em 23/09/2021 - 16:33 | Atualizado
Simulado da Defesa Civil na Zona Norte - Divulgação / Prefeitura do Rio

A Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil realiza nesta sexta-feira (24/09) simulado de desocupação nos bairros de Acari, Fazenda Botafogo e Parque Colúmbia, na Zona Norte da cidade, localizados em áreas que apresentam risco de alagamentos durante ocorrências de chuvas fortes. O exercício terá início a partir das 9h, e os moradores dessas regiões serão chamados para saírem de suas casas e se dirigirem a um dos seis pontos de apoio onde receberão orientações sobre os procedimentos necessários para o caso de emergências.

Ao longo das duas últimas semanas, equipes da Defesa Civil percorreram os bairros para alertar e conscientizar os moradores sobre a importância do tema e da participação no exercício. Também foram distribuídos panfletos informativos, enviados cards para os núcleos comunitários, reuniões com lideranças locais e envio de mensagens por SMS.

 

– Os simulados são fundamentais para a preparação dos moradores locais para emergências causadas pelas chuvas fortes e alagamentos. Com a população treinada, conhecendo os pontos de apoio e em contato direto com os órgãos públicos, teremos uma comunidade mais segura – afirmou o subsecretário de Proteção e Defesa Civil, Rodrigo Gonçalves da Silva.

 

Atualmente, a Defesa Civil possui dois tipos de simulados: um em áreas com risco de deslizamento ou escorregamento, que contam com o sistema de alerta com uso de sirenes, e outro para áreas que estão às margens de rios que possuem risco de alagamentos. Neste, se destacam as áreas do Jardim Maravilha (Guaratiba), próxima ao Rio Piraquê, e os bairros de Acari, Fazenda Botafogo e Parque Colúmbia, que são próximas ao Rio Acari.

Ao todo, 24 agentes estarão mobilizados para atuação nos seis pontos de apoio: 1- Pavilhão Social da Igreja Batista de Acari, Rua Ipuera, 191, Acari; 2- Escola Municipal Andrea Fontes Peixoto, na Rua Fausto e Castro, s/nº Pavuna; 3- Assembleia de Deus Travessa Embaú, Travessa Embaú, 496, Pavuna; 4- Associação de Moradores da Fazenda Botafogo, Rua Ender, 131, Coelho Neto; 5- Igreja Católica Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, Rua General Etchegoyen, 199, Pavuna; 6- Vila Olímpica Clara Nunes, Rua Pedro Jório, 528, Fazenda Botafogo.

Este ano, 12 comunidades já receberam o treinamento como parte das ações preventivas realizadas pelo órgão visando o período de chuvas fortes, que marca as estações da primavera e do verão na cidade.

O município do Rio de Janeiro mantém o Sistema de Alerta para Chuvas Fortes com uso de sirenes em comunidades com risco de deslizamento. O sistema conta com engajamento de líderes comunitários e evacuação para pontos de apoio. Vinculada à Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), a Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil realiza simulados de forma contínua nas comunidades do Rio. O alarme sonoro é composto por 83 pluviômetros e 165 estações de sirenes instaladas em 103 comunidades da cidade.

 

Estudos aprofundados sobre o tema dos alagamentos

Desde o início do ano, a Defesa Civil Municipal, em conjunto com a Fundação Rio-Águas, trabalha para que a cidade possa estabelecer parâmetros de monitoramento de áreas críticas para alagamentos, especialmente nas regiões de Acari e Jardim Maravilha, que há anos sofrem com este problema. Para isso, os locais estão sendo mapeados para identificação dos pontos críticos e avaliação da instalação de equipamentos como pluviômetros (para medição das chuvas) e sensores de nível (para medição da cheia dos rios).

Em outra frente de atuação, a Defesa Civil, em conjunto com a Fundação Rio-Águas, o Instituto Pereira Passos (IPP) e a Agência espacial americana NASA, iniciou os estudos para elaboração de um sistema de alerta para as áreas sujeitas a alagamentos na cidade.

O principal objetivo da parceria é ter subsídios para analisar a situação, desenvolver um alerta e estimular o deslocamento de moradores dessas regiões para pontos de apoio seguros. Neste primeiro momento, estão sendo reunidos dados históricos sobre as principais ocorrências de alagamentos na cidade para posterior envio à NASA que está desenvolvendo o modelo de gatilho a partir da coleta das informações.

  • 23 de setembro de 2021