Comunidades do Vidigal e Inácio Dias são palco de simulado da Defesa Civil sobre desocupação

Publicado em 06/05/2022 - 15:44 | Atualizado
Crianças conheceram o game “Vida em Jogo” e aprenderam de forma lúdica sobre diversos temas relacionados à prevenção - Divulgação

A Defesa Civil do Município do Rio realizou, nesta sexta-feira (6/5), um simulado de desocupação nas comunidades do Vidigal e Inácio Dias (Tanque), que estão inseridas em áreas que possuem risco de deslizamento de encostas. As localidades, juntas, possuem cinco estações do sistema de alerta para chuvas fortes, sendo quatro no Vidigal e uma na Inácio Dias.

Os exercícios são realizados de forma periódica nas comunidades que contam com as sirenes e fazem parte da estratégia preventiva da Defesa Civil que visa orientar os moradores sobre como agir em caso de emergências provocadas por chuvas fortes e durante acionamento do alarme sonoro. Além disso, é uma oportunidade para disseminar informações, como o cadastramento no sistema de alerta por SMS com avisos de chuvas fortes; como acionar o órgão para realização de vistorias em caso de rachaduras, fissuras ou trincas em imóveis, entre outras orientações.

 

– Estamos presentes mais uma vez nas comunidades com objetivo de conscientizar os moradores sobre o que fazer quando uma chuva intensa chega à região, ocasião em que lembramos a localização dos pontos de apoio, as medidas que devem ser adotadas quando for necessário sair de suas residências e também para que estejam atentos aos avisos da Defesa Civil, seja por meio dos alertas enviados via SMS ou pelas sirenes. Nosso objetivo principal é preservar a vida das pessoas por meio dessas ações preventivas – destacou o subsecretário de Proteção e Defesa Civil, Rodrigo Gonçalves da Silva.

 

O simulado teve início às 9h, com envio de SMS com alerta de chuva. Em seguida, às 9h30, a sirene foi acionada com o aviso de chuva forte para as próximas horas. Às 10h, um novo alerta foi emitido com solicitação aos moradores para que se dirijam a um dos pontos de apoio existentes. Por fim, às 11h um aviso de retorno à normalidade marcou o encerramento do exercício.

Durante a realização do simulado, os agentes informaram aos moradores o passo a passo para sair de casa em segurança após o acionamento das sirenes. Os cidadãos devem, por exemplo, fechar a válvula do botijão de gás, pegar documentos de identificação e remédios, desligar o disjuntor da energia elétrica da casa assim como de outros equipamentos. Nos pontos de apoio, o morador será cadastrado e aguardará a orientação para retorno de forma segura à residência.

Além disso, uma turma do 5º ano da Escola Municipal Almirante Tamandaré, no Vidigal, participou de um exercício de evacuação do colégio, ocasião em que receberam orientações para o deslocamento com segurança em caso de emergências. As crianças também conheceram o game de tabuleiro “Vida em Jogo”, e aprenderam de forma lúdica sobre diversos temas relacionados à prevenção em forma de uma divertida competição.

As equipes da Defesa Civil estiveram presentes para atendimento nos seguintes pontos de apoio: Comunidade Inácio Dias (Igreja Batista do Calvário / Estrada da Covanca, 1.980). Comunidade do Vidigal (Associação de Moradores / Avenida Presidente João Goulart, 737 e Escola Municipal Almirante Tamandaré / Avenida Presidente João Goulart, 296). O exercício também contou com a participação de equipes das secretarias de Assistência Social (SMAS), de Educação (SME), Fundação Instituto Geotécnica (GEO-RIO), Centro de Operações (COR) e das subprefeituras da Zona Sul e de Jacarepaguá.

Ao longo das últimas semanas, agentes do órgão percorreram diversos pontos das comunidades para orientar e incentivar a população a participar do exercício. Para isso, visitaram residências e unidades públicas, como escolas, creches e postos de saúde; se reuniram com lideranças locais, distribuíram panfletos e afixaram cartazes em pontos estratégicos.

O município do Rio de Janeiro conta com o Sistema de Alerta para Chuvas Fortes com uso de sirenes em comunidades com risco de deslizamento, que reúne uma série de iniciativas com foco na prevenção de desastres, como a instalação de equipamentos, engajamento de voluntários e líderes comunitários e evacuação para pontos de apoio em caso de emergências. Vinculada à Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), a Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil realiza simulados de forma periódica nas comunidades do Rio. O alarme sonoro é composto por 83 pluviômetros e 165 estações de sirenes instaladas em 103 comunidades da cidade.

Atualmente, a Defesa Civil possui dois tipos de exercícios simulados: um em áreas com risco de deslizamento ou escorregamento, que contam com o sistema de alerta com uso de sirenes, e outro para áreas que estão às margens de rios que possuem alto risco de alagamentos, entre elas estão as áreas do Jardim Maravilha (Guaratiba), próximas ao Rio Piraquê, e os bairros de Acari, Fazenda Botafogo e Parque Colúmbia, próximas ao Rio Acari.

  • 6 de maio de 2022