Agentes da Defesa Civil retornam ao Rio após três dias de ajuda humanitária em Recife

Publicado em 02/06/2022 - 19:41 | Atualizado
Os agentes deram suporte nos atendimentos feitos pela Defesa Civil de Recife aos cidadãos de áreas mais afetadas - Divulgação

Os 16 agentes da Defesa Civil já estão de volta ao Rio após intenso trabalho de ajuda à população de Recife, severamente atingida por fortes chuvas desde o dia 25 de maio. O embarque para a capital pernambucana ocorreu no sábado (28/5) à noite e as ações foram iniciadas na madrugada de domingo.

O anúncio do envio de ajuda aconteceu após contato do prefeito do Rio, Eduardo Paes, com o prefeito de Recife, João Campos, no sábado. Durante todo o período, os agentes deram suporte nos atendimentos feitos pela Defesa Civil de Recife aos cidadãos de áreas mais afetadas. O subsecretário de proteção e Defesa Civil, Rodrigo Gonçalves, coordenou as equipes nesses três dias de ação.

 

– Recebemos o aviso por volta das 15h45 de sábado e às 18h os 16 servidores, todos voluntários, já estavam disponíveis e prontos para se deslocarem para Recife. Chegamos lá com a cidade ainda recebendo muita chuva. Conseguimos atuar em todas as regiões, principalmente na Área Sul, que foi uma das mais atingidas, e participamos ativamente das vistorias, da remoção de pessoas de áreas de risco e na busca por desaparecidos – destacou o subsecretário.

 

Os servidores foram divididos em cinco equipes para atuação em pontos mais críticos e demandas emergenciais, principalmente em locais que sofreram deslizamentos. Entre a manhã de domingo (29/5) e a manhã de quarta-feira (1/6) foram atendidas 347 ocorrências que resultaram em 193 vistorias, 105 isolamentos de áreas com risco e na interdição de 49 imóveis que apresentavam problemas estruturais. Os servidores retornaram ao Rio de Janeiro na tarde de quarta-feira (1/6).

Além da disponibilização de pessoal, a Prefeitura do Rio também enviou 3,8 toneladas de donativos, como colchões, colchonetes, cobertores e cestas básicas, que foram arrecadados pela Secretaria de Assistência Social. Toda a logística de distribuição desses materiais foi operacionalizada pelos servidores da Defesa Civil do Rio. Rodrigo Gonçalves destacou, ainda, a situação que mais marcou os servidores durante o trabalho de ajuda humanitária.

 

– A situação mais marcante foi o trabalho realizado na Comunidade Jardim Monte Verde, onde ocorreu deslizamento que vitimou mais de 20 pessoas. O clima de consternação na localidade era muito grande e quando chegamos havia, ainda, cinco pessoas desaparecidas. Atuamos para isolar a área da parte alta em apoio ao trabalho de busca feito pelo Corpo de Bombeiros – disse Rodrigo Gonçalves.

  • 2 de junho de 2022