Prefeitura retira construções irregulares em Marechal Hermes

Publicado em 17/06/2021 - 15:29 | Atualizado
Demolição de 13 construções irregulares - Heliomar Antunes/Seconserva

A Prefeitura do Rio, por meio de ação conjunta entre a Secretaria Municipal de Conservação (Seconserva), a Secretaria Municipal de Ordem Pública (SEOP) e a Subprefeitura da Zona Norte, demoliu 13 construções irregulares em Marechal Hermes. A operação foi realizada nesta quinta-feira, 17 de junho.

As edificações irregulares, algumas voltadas para atividade comercial e outras usadas como garagem, haviam sido erguidas sobre a calçada na Rua Professor Djalma Cavalcanti, paralelamente ao muro da Supervia. No local, existiam equipamentos públicos destinados ao bem-estar da população da área, como mesas com marcas de tabuleiro de damas ou xadrez, além de bancos, brinquedos e aparelhos de ginástica. Ao todo, a Coordenadoria Técnica de Operações Especiais (COOPE), vinculada à Seconserva, retirou quatro lojas com um pavimento, com obras em andamento, e nove estruturas metálicas com telha, sendo cinco garagens.

O secretário de Ordem Pública, Brenno Carnevale, esteve presente na operação. – Seguiremos firmes nas ações de fiscalização e ordenamento contra construções irregulares. A Prefeitura está atenta e não vai tolerar que o crime organizado, seja milícia ou tráfico, se aproprie do espaço público. Quanto mais construírem de forma ilegal, mais vamos derrubar – garantiu.

 

Foram emitidas 14 notificações para outras construções ilegalizáveis – Heliomar Antunes/Seconserva

 

O subprefeito da Zona Norte, Diego Vaz, também acompanhou os trabalhos. – Infelizmente, mesmo com a morte recente de duas pessoas na Muzema, parte da população não se conscientizou sobre o risco de se construir irregularmente. A Prefeitura continuará com o seu papel de proteção à vida, demolindo qualquer construção irregular – garantiu ele.

Durante a ação, as equipes emitiram 14 notificações para outras construções ilegalizáveis. Os responsáveis terão um prazo de sete dias para retirar seus materiais do local. Também foram feitos 13 cortes de pontos clandestinos da Cedae e dois da Light, que eram utilizados pelas edificações.

A operação teve apoio da Coordenadoria Geral de Operações Especiais (CGOE), da Guarda Municipal, da Polícia Militar, da Coordenadoria de Controle Urbano (CCU), da Comlurb, da Cedae e da Light. Para o serviço, a equipe usou uma retroescavadeira.

  • 17 de junho de 2021