Escultura de São Sebastião passa por limpeza e revitalização em homenagem ao padroeiro do Rio

Publicado em 20/01/2022 - 10:06 | Atualizado
Imagem de São Sebastião na Praça Luís de Camões, na Glória - Divulgação / Prefeitura do Rio

Na semana em que é comemorado o Dia de São Sebastião, padroeiro da cidade do Rio de Janeiro, a Secretaria Municipal de Conservação preparou um presente para cariocas e turistas. Além da limpeza da escultura do santo católico, que é festejado nesta quinta-feira (20/01), o entorno do monumento, localizado na Praça Luís de Camões, na Glória, passou por ações de revitalização.

As equipes da Conservação executaram serviços como a restauração da área reservada para acender velas, pintura de grades, reposição de pedras portuguesas e reforma de bancos e mesas. Também foi instalado um totem com uma placa informativa sobre São Sebastião.

Para a secretária de Conservação, Anna Laura Secco, zelar pelos monumentos é manter viva a história da cidade:

– São Sebastião, além de padroeiro do Rio, é um ícone carioca. Sua imagem protege a população e simboliza a força de quem, assim como o soldado romano martirizado e santificado, não tem medo de defender suas crenças.

Sobre São Sebastião

Sebastião de Narbona foi um soldado romano morto pelo imperador Diocleciano por professar e não renegar sua fé em Jesus Cristo. Mártir e santo, São Sebastião é Padroeiro da Cidade do Rio de Janeiro e dos soldados, além de ser considerado protetor contra a fome, a peste e a guerra. No Rio, Oxóssi, o orixá da caça e da fartura nas religiões afro-brasileiras, faz sincretismo com São Sebastião.

A escultura de São Sebastião, instalada na Praça Luís de Camões, na Glória, foi feita por Dante Crossi. Instalada em 1965, a peça tem 13 metros de altura, com pedestal em granito, e guarda uma história curiosa. Na data prevista para a inauguração do monumento, 20 de janeiro de 1965, ele ainda não estava pronto. Por isso, foi feita uma solenidade improvisada, usando um protótipo em gesso da escultura. Atualmente, esse protótipo encontra-se no Museu Histórico da Cidade do Rio de Janeiro, na Gávea, guardado como uma relíquia.

  • 20 de janeiro de 2022