Prefeitura reacende a pira olímpica na Candelária

Publicado em 22/07/2021 - 20:27 | Atualizado
Pira olímpica é acesa na Candelária - Alexandre Macieira / Prefeitura do Rio

Para marcar o período olímpico e homenagear o povo japonês, a Prefeitura do Rio reacendeu a Pira Rio 2016 na Esplanada da Candelária, no Centro, na noite desta quinta-feira (22/07). A Pira do Povo, como é conhecida, ficará acesa durante a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, que começam nesta sexta-feira (23/07) e vão até o dia 8 de agosto. Abandonada nos últimos anos, a escultura passou por restauração e o seu entorno foi revitalizado.

– Com todo o cenário adverso, conseguimos entregar Jogos que são inesquecíveis. Sob o ponto de vista de organização, foi um tremendo sucesso e deixou um enorme legado para a cidade. Quero desejar todo o sucesso para Tóquio. Os Jogos Olímpicos mobilizam. O público não vai poder estar presente, por conta da pandemia, mas eu queria dizer para o povo japonês que a torcida dos cariocas está com vocês – disse o prefeito do Rio, Eduardo Paes.

 

O momento em que a pira é acesa na Candelária – Alexandre Macieira / Prefeitura do Rio

 

Paes e o cônsul-geral do Japão, Ken Hashiba, entregaram a tocha para que duas crianças de vilas olímpicas municipais acendessem a pira. Letícia Barreto, de 13 anos, e Alexandro Custódio Silva Junior, de 12, jamais vão esquecer este momento.

– É uma emoção muito grande. Me deu uma tremedeira na hora, comecei a chorar. Um dia quero disputar uma olimpíada – disse Letícia, que faz ginástica há três anos no GREIP da Penha.

Aluno da Escola Municipal Francisco Benjamim Galote, Alexandro torce pelo Flamengo e joga futebol na Vila Olímpica da Gamboa desde 2019

– É uma alegria enorme. Vou guardar para o resto da vida – destacou Alexandro.

 

Pira ficará iluminada durante os Jogos de Tóquio – Beth Santos / Prefeitura do Rio

 

Alunos da Vila Olímpica da Gamboa, na região central, também acompanharam de perto o ato simbólico. O evento contou ainda com a presença do vice-cônsul do Japão, Takashi Goto, do presidente da Câmara dos Vereadores, Carlo Caiado, e de secretários municipais.

O restauro da Pira 2016 foi realizado pela Secretaria de Infraestrutura. Houve a limpeza, a lubrificação e a troca de peças que sofreram desgaste e vandalismo. Além disso, a Rioluz instalou quatro novos refletores para dar mais destaque à obra de arte.

Depois de anos sofrendo com falta de cuidado, circulação indevida de veículos de carga e ações de vandalismo, o piso do entorno da pira, que estava totalmente abandonado, também passou por reparos, feitos pela Secretaria de Conservação. Na região, foram substituídas pedras do calçamento em paralelepípedo e cerca de 80 metros quadrados de placas de granito.

A Comlurb também trabalhou no local, sendo responsável pela limpeza da pira. No entorno, foram feitos serviços como a instalação de novas papeleiras, a pintura dos postes de iluminação, em ação integrada com a RioLuz, a retirada de pichações e de propagandas irregulares, além da reforma de bancos e a limpeza das caixas de microdrenagem.

 

Monitoramento 24 horas

O Centro de Operações Rio (COR) vai monitorar a pira olímpica, localizada em frente à Candelária, por meio de duas câmeras. A imagem de uma delas ficará fixada em um dos monitores do telão do COR durante a Olimpíada, 24 horas por dia.

A pira olímpica carioca é um exemplo de arte cinética criada pelo artista americano Anthony Howe. A obra, com 12 metros de diâmetro, que representa o sol e se movimenta impulsionada pelo vento, é uma réplica da que foi acesa no estádio do Maracanã durante a competição realizada na cidade, em 2016.

  • 22 de julho de 2021