Prefeitura inicia demolições de prédios irregulares e anuncia parque em memória a vítimas na Muzema

Publicado em 24/04/2019 - 10:55 | Atualizado em 21/11/2019 - 11:41
  • Início/
  • /
  • Prefeitura inicia demolições de prédios irregulares e anuncia parque em memória a vítimas na Muzema
Prefeitura começa a demolir prédios na MuzemaPrefeitura começa a demolir prédios na Muzema - Hudson Pontes/Prefeitura do Rio

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, anunciou nesta quarta-feira, 24 de abril, a demolição de 16 prédios construídos irregularmente na Muzema, Zona Oeste, e a construção de um parque na comunidade em memória às vítimas dos desabamentos de duas edificações, ocorridos no último dia 12. O trabalho de demolição, a cargo da Prefeitura, começou na manhã de quarta-feira. Inicialmente, serão postas abaixo duas construções vizinhas às que caíram, na parte alta da comunidade. A primeira edificação terminou de ser demolida no final da tarde de quarta-feira.

– Lá no alto da Muzema, que é uma área de proteção ambiental, será feito um parque, inclusive em memória às vítimas. É importante que esse momento doloroso, trágico, muito triste, que aconteceu na cidade do Rio de Janeiro nos dê uma lição inesquecível: a de que, para construir, é necessário ter as devidas licenças dos órgãos competentes, para que nunca mais a gente sofra o que passamos com as mortes na Muzema – afirmou o prefeito.

As demolições são feitas de forma manual pela Secretaria Municipal de Conservação, por meio do contrato em vigor da Coordenadoria de Operações Especiais (COE). A operação conta com auxílio de máquinas, para não abalar estruturalmente os prédios do entorno. A Prefeitura ainda avalia a necessidade de contratar emergencialmente uma empresa para auxiliar na derrubada de construções, o que daria mais celeridade à ação.

O secretário municipal de Infraestrutura e Habitação, Sebastião Bruno, responsável pelas demolições, explicou que o cuidado é redobrado, uma vez que ainda há prédios habitados, vizinhos aos que serão derrubados:

– Começamos a demolir o primeiro hoje. Essas demolições terão que ser muito cuidadosas, porque ainda há prédios ocupados ao lado dos prédios que vão ser demolidos. A maioria será na marreta. Muito poucos prédios poderão ser demolidos com equipamento. É um processo lento, que a gente começa hoje – explicou.

Crivella destacou que os prédios condenados estão escorados para que moradores possam entrar e retirar seus pertences. Ele lembrou que em 2017 editou decreto determinando que fossem identificadas as edificações com problemas estruturais:

– Desde 2017, quando fiz esse decreto, temos corrido a cidade do Rio de Janeiro, notificado diversas obras. Há embargos, há notificações de demolições. Muitas delas foram suspensas por decisão judicial. Agora, depois dos trágicos acidentes, das vítimas que tivemos na Muzema, a Justiça determinou que houvesse demolição de diversos prédios. E hoje estamos começando – afirmou o prefeito.

Após a liberação do Corpo de Bombeiros do local do incidente, a Defesa Civil municipal realizou nova vistoria e emitiu, na última segunda-feira, dia 22, laudo que condena os dois prédios – localizados nos lotes 93-A e 92 – vizinhos ao desabamento.  Os dois imóveis devem ser demolidos por apresentarem graves riscos estruturais. O 2º Comando de Policiamento de Área (Zona Oeste) da Polícia Militar foi acionado para oferecer apoio à ação.

Começa o trabalho de demolição de prédios irregulares na Muzema

Começa o trabalho de demolição de prédios irregulares na Muzema. Foto: Hudson Pontes / Prefeitura do Rio

No último dia 12 de abril, dois prédios irregulares desabaram. A Prefeitura iniciou nesta quarta, 24, a demolição de outros dois.
No último dia 12 de abril, dois prédios irregulares desabaram. A Prefeitura iniciou nesta quarta, 24, a demolição de outros dois. Foto: Hudson Pontes – Prefeitura do Rio

 

Os prédios construídos irregularmente na Muzema estão em loteamento clandestino
Os prédios construídos irregularmente na Muzema estão em loteamento clandestino. Foto: Hudson Pontes / Prefeitura do Rio

Confira a atuação de cada órgão envolvido na operação desta quarta-feira:

DEFESA CIVIL –A Defesa Civil Municipal iniciou as ações desta quarta-feira, 24, na Muzema, realizando inspeções técnicas de segurança no prédio demolido pela Seconserva, o do lote 92 da Estrada da Jacarepaguá, 370. Durante a operação, o órgão também fez vistorias periódicas nos sete imóveis vizinhos que foram desocupados preventivamente (por estarem na área de impacto dos dois interditados) e auxiliou no isolamento da área. Ao todo, foram empregados dez agentes, entre engenheiros e técnicos.

Nesta quinta-feira, dia 25, o órgão retorna aos trabalhos para avaliar as condições de acesso ao segundo prédio condenado (do lote 93-A, à direita do desabamento) e, assim, verificar a viabilidade de os moradores retirarem seus pertences, incluindo móveis, após o reforço do escoramento realizado pela Secretaria Municipal de Infraestrutura e Habitação. Quatro famílias moravam no imóvel.

INFRAESTRUTURA/CGP –Também nesta quarta a Secretaria Municipal de Infraestrutura e Habitação, por meio da Coordenadoria Geral de Projetos (CGP), iniciou um reforço do escoramento do térreo do prédio vizinho, de oito andares, a pedido da Defesa Civil. Ele será o segundo a ser demolido.

Após a conclusão desse escoramento, cuja previsão é para hoje, a Defesa Civil poderá liberar a entrada dos moradores para retirada de seus pertences. Depois então que essa etapa for vencida, a CGP fará o escoramento até o terceiro piso, para que o prédio enfim seja demolido. O trabalho de escoramento dos três pisos deve durar dois dias.

SECONSERVA –O primeiro prédio, demolido nesta quarta-feira, tinha três andares, com 720 metros quadrados de laje e duzentas toneladas de material. São 60 homens e duas máquinas da Secretaria Municipal de Conservação (Seconserva) em ação. O entulho não será retirado, para evitar que sejam construídos novos prédios irregulares no local.

GUARDA MUNICIPAL e CET-Rio – A Guarda Municipal vai atuar com 30 guardas municipais. Os agentes vão auxiliar as equipes da Prefeitura no isolamento da área e no controle do trânsito dos acessos ao local.

URBANISMO – A Secretaria Municipal de Urbanismo intensificou as ações de fiscalização e está elaborando os atos administrativos que servirão de base para as ações da Prefeitura. Neste condomínio onde ocorreu o desabamento, já foram abertos 33 processos novos de notificação, identificando de forma individualizada as construções irregulares no terreno. Prédios residenciais multifamiliares são prioridade. Além disso, elaborou os Laudos de Vistoria Administrativa que já estão fixados nos dois prédios que serão demolidos.

A ação também contará com apoio das equipes da Saúde, Assistência Social e Comlurb.

  • 24 de abril de 2019