Prefeitura desmonta lava a jato irregular em Marechal Hermes

Publicado em 08/10/2020 - 16:37 | Atualizado
A equipe desfez duas ligações clandestinas de água que, além do lava a jato, abasteciam cinco quiosques irregulares. - Foto:Divulgação/ Seop
A Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), realizou nesta quinta-feira, 08/10, mais uma operação contra lava a jato irregular, desta vez em Marechal Hermes, na Zona Norte. Com a participação de diversos órgãos municipais e Cedae, a equipe desfez duas ligações clandestinas de água que, além do lava a jato, abasteciam cinco quiosques irregulares. Todos foram notificados, e 16 mesas e cadeiras de plástico apreendidas. Um veículo também foi multado. Somente neste segundo semestre, ações conjuntas integradas pela Seop contra a atividade ilegal identificaram e cortaram 29 “gatos” em diversos bairros.
Com planejamento da Subsecretaria de Operações (Subop) da Seop, a ação conjunta contou com efetivos da Guarda Municipal, Cedae, Coordenadoria de Controle Urbano (da Secretaria Municipal de Fazenda), e da Coordenadoria de Fiscalização de Estacionamentos e Reboques da Seop.
Histórico – Desde 18/08, foram desfeitas 29 ligações clandestinas de água e de energia elétrica em diversos bairros. Durante as ações, também foram recolhidas mais de 2,5 toneladas de resíduos sólidos (como caixas d’ água e outros recipientes, papelão, madeira e lonas), que obstruíam calçadas e parte de vias. Em um dos lava a jatos, a Comlurb recuperou três contêineres da companhia. Em uma das ações, quatro veículos também foram multados por estacionamento irregular, um deles removido. Neste ano, ao todo, foram 13 ações conjuntas contra esse tipo de atividade irregular na Tijuca, Vila Isabel, Caju, Taquara, Campinho, Benfica, Mangueira, Botafogo, Deodoro e Guadalupe.
“Blitz da Vida” prossegue no Flamengo e em Botafogo
Nos últimos dois dias, 6 e 7/10, as ações conjuntas da “Blitz da Vida” – projeto com foco no enfrentamento à pandemia de Covid-19 em áreas sensíveis a aglomerações durante a retomada – resultou em 92 ambulantes e estabelecimentos fiscalizados no Flamengo e em Botafogo, na Zona Sul. Integrada pela Seop e com a participação de diversos órgãos municipais, a força-tarefa também abordou 62 pessoas em situação de rua, com 20 encaminhamentos e 16 acolhimentos; removeu 20 veículos por estacionamento irregular; e recolheu cerca de 2,1 toneladas de resíduos sólidos.
Entre os 87 ambulantes fiscalizados, nove foram autuados e 39 não autorizados foram orientados a desocupar o espaço público. Ainda na fiscalização do comércio, dois de cinco estabelecimentos vistoriados foram autuados.
No Flamengo, o roteiro contemplou as ruas Marquês de Abrantes, Senador Vergueiro e Barão do Flamengo, a Travessa dos Tamoios e a Praia do Flamengo. Já em Botafogo, os agentes percorreram as ruas São Clemente, Voluntários da Pátria, Mena Barreto, Nelson Mandela, Paulo Barreto, Dezenove de Fevereiro e Sorocaba, e a Praia de Botafogo, incluindo a parte de baixo do elevado.
Balanço geral da “Blitz” na cidade – Em 11 semanas, de 21/07 a 02/10, a “Blitz da Vida” registrou, em mais de 50 ações conjuntas, 2.195 fiscalizações e orientações a estabelecimentos comerciais (855) e ambulantes (1.340), e 967 abordagens a pessoas em situação de rua, com 233 acolhimentos. A força-tarefa contabiliza mais de 600 multas de trânsito por diversas irregularidades, com 255 remoções de veículos por estacionamento irregular e 244 autuações a vans e kombis do transporte complementar de passageiros; e retirada de mais de 68 toneladas de resíduos sólidos. O levantamento corresponde à atuação em 14 bairros: Centro, Copacabana, Ipanema, Leblon, Campo Grande, Santa Cruz, Tijuca, Freguesia de Jacarepaguá, Taquara, Praça Seca, Madureira, Cascadura, Méier e Barra da Tijuca.
Outros números – Desde o início das ações de combate à pandemia, em 18 de março, a Seop integrou mais de 649 operações conjuntas em toda a cidade, onde foram fiscalizados 38.838 estabelecimentos, com 28.101 pontos comerciais fechados. Além disso, foram atendidas 11.454 ocorrências pelo Disk Aglomeração, que funciona desde 31 de março com base em chamados à Central 1746.
Órgãos – As ações conjuntas são planejadas pela Subsecretaria de Operação (Subop) da Seop e contam, de acordo com a necessidade operacional, com efetivos da Guarda Municipal, e das coordenadorias de Fiscalização de Estacionamentos e Reboques (Cfer), Especial de Transporte Complementar (CETC) e de Cuidado e Prevenção às Drogas (CPD), ligadas à pasta; Subsecretaria de Licenciamento, Fiscalização e Controle Urbano (da Secretaria Municipal de Fazenda); Subsecretaria de Vigilância Sanitária (da Secretaria Municipal de Saúde); Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos; Comlurb; Cedae; Light; Rioluz; e Polícia Militar.