Prefeitura derruba, na Gávea, estrutura de chalé de alto padrão em área de Mata Atlântica

Publicado em 05/02/2021 - 14:16 | Atualizado
A estrutura do chalé era de maçaranduba e árvores nativas retiradas da Mata Atlântica - Divulgação/Prefeitura do Rio

Uma estrutura feita de maçaranduba e árvores nativas retiradas da Mata Atlântica, localizada dentro de duas unidades de conservação da natureza, na Gávea, foi demolida nesta sexta-feira (05/02) pela Coordenadoria de Defesa Ambiental, da Secretaria Municipal de Meio Ambiente do Rio. Um chalé de alto padrão estava sendo erguido dentro dos limites do Parque Nacional da Tijuca e do Parque Natural Municipal da C

idade, o que configura crime ambiental. A ação da Prefeitura teve que ser rápida, já que a localidade vem sofrendo muito com a expansão de novas construções irregulares de imóveis.

 

A construção estava sendo erguida dentro dos limites do Parque Nacional da Tijuca e do Parque Natural Municipal da Cidade – Divulgação/Prefeitura do Rio

 

Apenas com a compra de madeiras, o autor do crime ambiental gastou cerca de R$ 70 mil, o que demonstra um elevado padrão financeiro da invasão. O secretário municipal de Meio Ambiente, Eduardo Cavaliere, acompanhou a ação e disse que a pasta segue firme na defesa dura do Meio Ambiente.

– A secretaria deu todos os avisos de que o cidadão que cometeu esse crime deveria derrubar a estrutura e recuperar a área. Não vamos mais tolerar esse tipo de absurdo.

De acordo com o coordenador de Defesa Ambiental, coronel José Maurício Padrone, qualquer pessoa que queira erguer construções na cidade deve observar critérios urbanísticos e ambientais.

– É de extrema importância que as pessoas não realizem qualquer tipo de desmatamento ou construção em áreas verdes. Procurem orientação junto aos órgãos ambientais para que a obra não seja embargada ou demolida. Quem não estiver seguindo a lei sofrerá as punições previstas.

  • 5 de fevereiro de 2021