Prefeitura chega a 237 inspeções nos primeiros cinco dias de funcionamento da Fase 3

Publicado em 06/07/2020 - 20:40 | Atualizado
No total, 126 vistorias foram em bares e restaurantes, com cinco interdições e 63 multas. Crédito: Divulgação/Prefeitura do Rio

A Prefeitura do Rio, por meio da Subsecretaria de Vigilância Sanitária, realizou 237 inspeções e aplicou 172 infrações desde quinta-feira, 02/07, até a tarde desta segunda-feira, 06/07, nas ações de fiscalização da Fase 3A do Plano de Retomada. Deste total, 126 vistorias foram em bares e restaurantes, com cinco interdições e 63 multas, a maioria por falta de higiene, funcionamento irregular e aglomeração.

Neste domingo, as equipes voltaram para desinterditar o restaurante no número 120 da Avenida Olegário Maciel, na Barra da Tijuca, fechado no dia anterior. No entanto, o espaço já estava funcionando antes mesmo da liberação da Vigilância, que multou novamente o estabelecimento descumprimento de edital de interdição e por permitir o consumo de cigarros em ambiente fechado. No sábado, 04/07, o comércio já havia sido infracionado por aglomeração e falta total de higiene, principalmente, nos banheiros e na cozinha. O restaurante recebeu ainda um termo de intimação para a readequação das instalações e teve 97 quilos de carnes e queijos impróprios ao consumo apreendidos.

Além de bares e restaurantes, os fiscais inspecionaram os demais comércios de alimentos, academias e estúdios de tatuagem e de depilação que voltaram a funcionar na última quinta. As ações são feitas por comboios da Vigilância (vinculada à Secretaria Municipal de Saúde), integrados por equipes da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), Guarda Municipal e Subsecretaria de Licenciamento, Fiscalização e Controle Urbano da Secretaria Municipal de Fazenda, com algumas delas tendo apoio da Polícia Militar. A Vigilância Sanitária aproveita para ressaltar a importância da participação da população na adoção de medidas de prevenção à Covid-19 denunciando irregularidades à Central 1746.

– Mais que nunca, todos devem entender o seu papel quanto à questão da saúde pública, principalmente, neste momento, para sairmos da pandemia. Vamos continuar rodando a da cidade e inspecionando, orientando e, se preciso, multando e interditando os estabelecimentos. Mas precisamos ter a participação dos empresários e da população, porque esse problema não é de um, mas de todos nós – afirma Flávio Graça, superintendente de Educação e Projetos da Vigilância Sanitária.