Prefeitura abre novas inscrições para servidores atuarem na campanha de vacinação contra a raiva

Publicado em 09/10/2020 - 15:25 | Atualizado
Convocação é para aqueles que desejam trabalhar como vacinadores de cães e gatos. Processo seletivo vai de 13 a 16 de outubroConvocação é para aqueles que desejam trabalhar como vacinadores de cães e gatos. Processo seletivo vai de 13 a 16 de outubro. Crédito: Prefeitura do Rio/Vigilância Sanitária

A Prefeitura do Rio, por meio da Subsecretaria de Vigilância Sanitária e Controle de Zoonoses da Secretaria Municipal de Saúde, abriu novas inscrições para servidores que queiram atuar como vacinadores na Campanha Antirrábica 2020. A convocação, publicada no Diário Oficial desta sexta-feira (09/10), é exclusiva para os servidores municipais da administração direta, na ativa, com menos de 60 anos, sem comorbidade ou doenças autoimunes.

Podem participar funcionários de várias formações, níveis de escolaridade e de qualquer secretaria da administração direta, vedada a participação de profissionais da administração indireta, como Comlurb, Guarda Municipal e outras autarquias.

Os interessados devem procurar uma unidade de saúde para se vacinar preventivamente contra a raiva humana e fazer o teste de sorologia, que mostra que a pessoa já tem anticorpos contra a doença, visando à proteção em caso de acidentes. Aqueles habilitados passarão por treinamento e serão convocados por meio de publicação no Diário Oficial. Todos que participarem da campanha, com comprovação em listagem de frequência, receberão encargos pelo trabalho.

Como se inscrever?

Para participar da seleção, basta enviar um e-mail para zoonosespcrj@gmail.com, informando nome completo, matrícula, órgão de lotação e telefones para contato, além de anexar cópias do último contracheque e da carteira de identidade. Também é necessário informar a preferência de dias para participar da vacinação, podendo ser escolhido um ou mais dias: 23/10 (sexta-feira); 24/10 (sábado); 06/11 (sexta-feira); 07/11 (sábado); 04/12 (sexta-feira); 05/12 (sábado); 18/12 (sexta-feira); 19/12 (sábado).

Campanha antirrábica 2020

Na primeira etapa da vacinação, em 1º, 02 e 03 de outubro, foram imunizados 68.609 animais, sendo 49.722 cães e 18.887 gatos. A ação, que foi dividida em cinco etapas para atender todo o município, começou com a inauguração de onze postos de atendimento drive thru espalhados pela cidade, e seguiu com atendimento nos postos fixos e volantes na Zona Oeste.

Todos os endereços e detalhes da segunda etapa serão divulgados na página da Vigilância Sanitária.Até 19 de dezembro, o programa Se liga, bicho! Raiva é caso sério contará com 350 pontos fixos e outros cinco itinerantes. A meta é imunizar 500 mil cães e gatos.

Próximas etapas

  • 2ª Etapa – 22, 23 e 24/10

  • 3ª Etapa – 05, 06 e 07/11

  • 4ª Etapa – 03, 04 e 05/12

  • 5ª Etapa – 17, 18 e 19/12

Recomendações

Além do uso obrigatório da máscara e do respeito ao distanciamento social e das demais Regras de Ouro para os tutores, é preciso seguir orientações referentes aos animais na hora da vacinação:

  • A imunização é exclusiva para cães e gatos acima de três meses de idade.

  • Fêmeas gestantes não devem ser vacinadas.

  • Os cachorros devem estar de coleira e guia e os gatos em caixas de transporte apropriadas.

  • Só serão vacinados os bichos que estiverem sob a tutela de maiores de 18 anos, que serão inteiramente responsáveis pela contenção dos animais.

  • Não é permitida a cessão de doses da vacina para a população.

  • Para quantitativos acima de vinte animais, a solicitação para vacinação deve ser registrada na Central 1746. Os responsáveis devem informar nome e telefone para contato, a quantidade e o endereço. A equipe do Centro de Controle de Zoonoses entrará em contato para fazer o agendamento para esses grupos.

  • Até 36 horas após a aplicação da vacina, é possível que os animais tenham sintomas como dores no local, febre e que fiquem com o comportamento mais quieto.

O que é a doença?

A raiva é uma doença infecciosa viral aguda, fatal tanto para animais quanto para humanos. A transmissão ocorre por meio da saliva de animais infectados, principalmente por mordidas, mas também podem ocorrer via arranhões e lambidas desses animais.

Em março, o estado do Rio de Janeiro registrou a primeira morte por raiva humana do Rio de Janeiro desde 2006, com o caso de um adolescente de 14 anos mordido por um morcego em Angra dos Reis. No município, não há ocorrência de raiva humana desde 1986 (há 34 anos) e de casos da doença em cães e gatos desde 1995 (há 25 anos). Todos os dados referentes às ações de profilaxia e controle da doença são atualizados e disponibilizados no site da Vigilância Sanitária.