Patrulha ambiental resgata fragata, tamanduá-mirim e jiboias em diferentes pontos da cidade

Publicado em 13/08/2020 - 12:23 | Atualizado
Os animais saudáveis foram devolvidos à natureza. Uma fragata e uma jiboia foram levadas para o CRASOs animais saudáveis foram devolvidos à natureza. Uma fragata e uma jiboia foram levadas para o CRAS. Crédito: Divulgação / Guarda Municipal

A Prefeitura do Rio, por meio da Guarda Municipal e da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, realizou na quarta-feira, dia 12, e nesta quinta feira, dia 13, resgates de quatro animais silvestres (fragata, tamanduá-mirim e duas jiboias) em diferentes pontos da cidade.

Na manhã desta quinta-feira, dia 13, a patrulha ambiental foi acionada pelo Corpo de Bombeiros para realizar o resgate de uma ave fragata que se estava ferida no Mirante do Leblon, Zona Sul do Rio. Ao encontrarem a ave no deque do mirante, os guardas municipais fizeram a captura e, em seguida, constataram que o animal se encontrava com um ferimento ocasionado por anzol, sendo necessário levá-la para o Centro de Recuperação de Animais Silvestres (CRAS) da Universidade Estácio de Sá.

Na quarta-feira, dia 12, a patrulha ambiental foi acionada pela Central 1746 para realizar resgate de um tamanduá-mirim que apareceu no quartel do Corpo de Bombeiros em Ricardo de Albuquerque, na Zona Norte do Rio. O animal se encontrava saudável e foi solto na Floresta da Tijuca.

Ainda na quarta-feira duas jiboias foram resgatadas, uma dela estava na Escola Técnica Estadual (FAETEC) de Quintino, na Zona Norte do Rio. Os guardas municipais constataram que a jiboia estava ferida e a levaram para o CRAS, para atendimento veterinário. A outra cobra apareceu na cabine de vigilância de um condomínio na Estrada da Ligação, em Jacarepaguá, na Zona Oeste. Como ela estava saudável, a jiboia foi devolvida à natureza, no Parque Natural Municipal de Marapendi.

A patrulha ambiental é formada por fiscais da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e guardas municipais do Grupamento de Defesa Ambiental. A Prefeitura do Rio orienta a população a acionar a patrulha por meio da Central 1746, caso flagrem animais silvestres em área urbana na cidade do Rio ou em qualquer situação de risco fora do seu habitat para um resgate seguro. O manuseio não é aconselhável e muito menos tentar afugentá-los, pois pode agravar qualquer lesão que os animais apresentarem. A Central 1746 funciona 24 horas.