Patrulha Ambiental resgata 40 gambás num só dia em toda a cidade

Publicado em 16/09/2020 - 12:57 | Atualizado em 16/09/2020 - 13:09
A grande maioria dos resgates é feita em residências onde os gambás procuram fazer os ninhos. - Foto: Divulgação/ SMAC

A Prefeitura do Rio, por meio da Patrulha Ambiental, resgatou nesta terça-feira, dia 15/09, 40 gambás, a maioria filhotes, em diversas regiões da cidade. Esse é um dos maiores resgates de gambás já registrados esse ano para um só dia, e significa o início da temporada de ninhada dos animais silvestres, que chega com a primavera.

– Estamos recebendo uma média de 60 a 80 animais/dia. Isso acontece porque a gente está chegando na primavera, que é a época reprodutiva dos animais silvestres. A maioria é de gambás, mas daqui a pouco vai começar a chegar outros filhotes. Não é atoa que a gente acaba recebendo por ano uma média de 1.300 gambás, explica o veterinário Jeferson Pires, chefe do Centro de Recuperação de Animais Silvestres (CRAS), da Universidade Estácio de Sá.

É para o Centro de Recuperação de Animais Silvestres que a Patrulha Ambiental direciona os animais debilitados e doentes, para que sejam tratados e, quando recuperados, devolvidos à natureza por meio de lugares específicos para a soltura, como os parques municipais.

Dos 40 gambás resgatados nesta terça-feira, 20 foram recolhidos em bairros da Zona Oeste. Desses, 6 foram soltos logo depois porque estavam saudáveis. E os outros 14, sendo 10 filhotes, foram levados para o CRAS.  Os outros 20 resgates, todos filhotes, foram feitos em bairros das zonas Sul e Norte pelos agentes da Base I da Patrulha Ambiental.

Nesta terça-feira também foram feitos resgates de outros animais silvestres. Um filhote de urubu, 1 filhote de cobra jararaca, nas zonas Sul e Norte; e uma Capivara, uma coruja e um bacurau, na Zona Oeste.

A grande maioria dos resgates é feita em residências onde os gambás procuram fazer os ninhos. Quando os moradores descobrem, chamam a Patrulha Ambiental para resgatar os animais. Em boa parte dos casos, os filhotes são abandonados pela mães, que muitas vezes morrem após o parto.

A Patrulha Ambiental, da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, é formada por fiscais da Secretaria e guardas municipais do Grupamento de Defesa Ambiental. A Prefeitura do Rio orienta a população para acionar a patrulha por meio da Central 1746, caso flagrem animais silvestres em área urbana na cidade ou em qualquer situação de risco. O manuseio dos animais não é aconselhável. A Central 1746 funciona 24 horas.