Papa, Lady Di e Tocha Olímpica: servidores relembram fatos marcantes no Dia do Idoso

Publicado em 01/10/2021 - 07:02 | Atualizado em 04/10/2021 - 07:08
  • Início/
  • /
  • Papa, Lady Di e Tocha Olímpica: servidores relembram fatos marcantes no Dia do Idoso
Seu Idalício e seu Gyleno em um encontro no Cass pouco antes da pandemia - Arquivo/Prefeitura do Rio

O jornalista Idalício de Oliveira e o garçom Gyleno dos Santos são dois dos servidores mais antigos da Prefeitura. O primeiro, de 93 anos, foi abençoado pelo Papa Francisco em sua visita ao Brasil. O outro, de 84, serviu a Princesa Diana, em um jantar no Palácio da Cidade. Em comum, ambos carregaram a Tocha Olímpica e já foram condecorados pelos excelentes serviços prestados. No Dia do Idoso, eles contam as passagens marcantes até agora em muitos anos de carreira.

Seu Idalício entrou na Prefeitura em 1977 e  já trabalhou em 14 administrações, com dez prefeitos diferentes, contando as reeleições. O jornalista faz parte da equipe de assessores de comunicação do gabinete do prefeito. Ele destaca três momentos marcantes de sua carreira:  quando carregou a Tocha Olímpica, por conta dos Jogos Rio 2016; ter recebido a medalha 1º de Março, em 2015, na solenidade de comemoração dos 450 anos da cidade; e o encontro com o Papa Francisco, em 2013.

 

– Quando acabou a cerimônia, o prefeito Eduardo Paes me apresentou ao Papa Francisco. Eu me ajoelhei, beijei o anel dele e fui abençoado. Foi uma emoção muito grande – conta Seu Idalício, que na ocasião foi o mestre de cerimônia da solenidade no Palácio da Cidade.

 

Independente, antes da pandemia de Covid-19 Seu Idalício saía diariamente de casa, em Vila Isabel, pegava o ônibus e era sempre um dos primeiros a chegar à redação. Entre as suas funções está a leitura do Diário Oficial para “garimpar” as notícias mais relevantes, que depois sempre viram reportagens não só no próprio site da Prefeitura quanto nos principais veículos de imprensa. Todo o trabalho é feito usando sua inseparável máquina de escrever Remington 100.

 

Ter carregado a Tocha Olímpico é um dos orgulhos de Seu Idalício – Arquivo/Prefeitura do Rio

 

Recentemente, o jornalista tomou a dose de reforço da vacina contra a Covid-19. Em toda a sua simplicidade, Seu Idalício diz que não há nenhum grande segredo para a longevidade. Ainda assim, dá um conselho para aqueles que perguntam sobre o tema.

 

– Fazer o que gosta e caminhar muito. Sou filiado até hoje do Centro  Excursionista Brasileiro, andei bastante e fiz muitas trilhas por essa cidade, o que sempre me deu muita disposição – contou Seu Idalício, que conheceu a esposa, já falecida, em uma caminhada à Pedra Bonita.

 

Um garçom com muitas histórias na bandeja

Gyleno dos Santos, o garçom mais antigo da Prefeitura, é um carioca típico. Nasceu na  Tijuca, aos pés do Morro do Salgueiro, sua escola de coração, é apaixonado pelo Flamengo e amante da dança de salão. Entre os momentos mais marcantes em sua trajetória até agora como servidor municipal, ele destaca que foi receber as medalhas Pedro Ernesto e 450 anos; e carregar a Tocha Olímpica. Mas o seu maior orgulho mesmo foi ter servido a princesa Daiana, em sua visita ao Brasil há 30 anos.

 

– Passamos 15 dias ensaiando as posturas para o serviço, parecia um balé. A Lady Di tinha uma presença marcante, parecia uma boneca. Guardo até hoje como lembrança daquele evento o guardanapo que a princesa usou no jantar – lembra Seu Gyleno, de 84 anos. Ele não conseguiu achar o “troféu”, mas garante que está em sua casa.

 

No início desse ano, Seu Gyleno foi ao Cass e se encontrou com o prefeito Eduardo Paes – Arquivo/Prefeitura do Rio

 

 

O garçom conta que outro momento marcante foi ter carregado a Tocha Olímpica às vésperas dos Jogos Rio 2016. Considera uma honra ter sido escolhido entre milhões de cariocas.

 

– Foi sensacional e muito emocionante. Carreguei a tocha desde a entrada do Morro Santa Marta e, quando entrei no Palácio da Cidade, havia uma fila indiana de funcionários aplaudindo. Ainda tive o prazer de fazer a passagem e acender a tocha que foi carregada pelo meu amigo Idalício – conta Seu Gyleno.

 

Sobre o futuro, Seu Gyleno conta ter muitos projetos. O próximo é escrever um livro de memórias. Já começou a reunir as muitas histórias que tem para contar e o título também está definido.

 

– Quero contar detalhes de tudo o que passei nesses anos aqui na Prefeitura. Por enquanto, só tenho o título escolhido: “Segredos na bandeja”.

 

A pandemia de Covid-19 afastou os dois daquilo que mais gostam de fazer: trabalhar. Depois de tomar a dose de reforço da vacina, Seu Gyleno marcou o seu retorno para novembro. Já Seu Idalício deve demorar um pouco mais para retornar à rotina diária do trabalho presencial, em que sempre foi um dos primeiros a chegar ao Centro Administrativo São Sebastião (Cass), principal sede da Prefeitura.

 

Seu Gyleno lembra com emoção do dia em que carregou a Tocha Olímpica – Arquivo/Prefeitura do Rio

 

 

Dia do Idoso: Servidor mais antigo já se encontrou com o Papa, carregou a Tocha Olímpica e foi condecorado

 

Dia do Idoso: Garçom do Gabinete do Prefeito já serviu Lady Di e carregou a Tocha Olímpica

 

  • 1 de outubro de 2021