No domingo de Páscoa, Prefeitura realiza ações em diversos bairros para fiscalizar comércio e evitar aglomerações

Publicado em 12/04/2020 - 13:29 | Atualizado em 12/04/2020 - 16:43
Fiscalização da Seop combate comércio irregular e aglomerações durante a quarentena. Foto: divulgaçãoDecreto assinado pelo prefeito Marcelo Crivella estabelece horários de comércio e indústria - Divulgação

A Prefeitura do Rio de Janeiro realizou neste domingo de Páscoa (12/04) ações em vários bairros da cidade para fiscalizar o comércio e evitar aglomerações de pessoas. Nesta manhã, equipes da Secretaria municipal de Ordem Pública (Seop) estiveram em Rio das Pedras, na Zona Oeste, para verificar se havia comércio aberto e presença de ambulantes, em cumprimento ao decreto do prefeito Marcelo Crivella para enfrentamento do novo coronavírus (Covid-19).

Uma barraca de caldo de cana teve a sua atividade encerrada, com apreensão da moenda e do botijão de gás pelos agentes e vários ambulantes foram orientados a deixar as ruas. Além disso, cinco lojas (entre elas, uma sorveteria e uma agência de turismo) foram fechadas. A ação prossegue até o fim do dia.

_ O que precisamos é que as pessoas acreditem no vírus, porque infelizmente ele existe, se dissemina rápido e ainda tem uma curva de crescimento. Então, todos devem se proteger, além de proteger aqueles com quem estiverem no dia-a-dia – disse o prefeito Marcelo Crivella.

Carros de som

Vinculada à Secretaria de Ordem Pública, a Guarda Municipal adotou mais uma medida para conscientizar a população e evitar o contágio pelo novo coronavírus. Além do uso de megafones em diversos pontos da cidade, cinco carros foram adaptados com caixas de som acopladas para alertaras pessoas sobre a higienização das mãos e a necessidade de evitar aglomerações nesse período de afastamento social.

Os veículos estão circulando por bairros do Centro e das zonas Norte, Sul e Oeste. A mensagem lembra ainda da necessidade de manter a distância segura de 1,5 metro a 2 metros entre as pessoas.

 

Agentes da Seop em ação em bairros do Rio. Foto: divulgação
Agentes da Seop em ação em bairro do Rio. Foto: divulgação

 

O mais recente balanço da ação da Seop registra o fechamento de 2.370 estabelecimentos dos 3.127 fiscalizados em 54 ações por toda a cidade. A suspensão do comércio é por tempo indeterminado. Entre as exceções estão supermercados e hortifrútis; padarias (sem consumo no local); pet shops; lojas de materiais de construção; e postos de combustíveis.
Mais informações: clique aqui.

Onde já agiram os fiscais

Os agentes municipais fiscalizaram dia 11/04 um total de 28 estabelecimentos, incluindo lojas que faziam vendas presenciais de chocolates para a Páscoa e causavam filas. Pela manhã, as equipes percorreram o Mercadão de Madureira e trechos da Rua Conselheiro Galvão e da Avenida Ministro Edgar Romero, na Zona Norte, e à tarde, seguiram para a Muzema, na Zona Oeste, verificando diversos endereços na Estrada da Barra da Tijuca e Largo da Muzema.

Já à noite, por volta das 18h, a fiscalização esteve na Tijuca, onde foi constatada aglomeração de pessoas em frente à unidade das Lojas Americanas. A gerente foi orientada e tomou providências para adequação da fila. Às 19h, os agentes cumpriram mais uma missão em dois postos de gasolina na Tijuca e no Andaraí. Os estabelecimentos também foram orientados a evitarem aglomerações e fecharem suas lojas de conveniência ou pontos de venda de bebidas às 20h, conforme determina o decreto municipal.

Disk Aglomeração atende 1,8 mil chamados: uma média de 150/dia

Além das ações da Secretaria municipal de Ordem Pública (Seop) com foco na fiscalização dos comércios não essenciais, o Disk Aglomeração também vem atuando para dispersar grupos de pessoas nos comércios essenciais e áreas públicas. Neste sábado (11/04), as equipes atenderam os bairros de Realengo, Bangu, Irajá, Jardim Sulacap, Padre Miguel e Campo Grande. Até um jogo de futebol foi encerrado pelos agentes em Padre Miguel.

Ao todo, o Disk Aglomeração já realizou 1.814 atendimentos em 12 dias de funcionamento, uma média de 150 por dia. Os bairros mais demandados são: Campo Grande, Centro, Bangu, Realengo, Tijuca, Santa Cruz, Barra da Tijuca, Copacabana, Taquara e Recreio dos Bandeirantes.

Coordenado pela Seop, o serviço funciona com base em chamados para a Central 1746 e, na última semana, ganhou um reforço tecnológico: o uso de sinais de celulares para detectar pontos de aglomeração, a partir de uma parceria com a operadora de telefonia TIM e o Centro de Operações Rio (COR). Mais informações: clique aqui.

Skip to content