No Dia do Gari, uma homenagem a essa turma que veste laranja e é cheia de histórias para contar

Publicado em 16/05/2021 - 09:00 | Atualizado em 15/05/2021 - 19:46
Renato Sorriso após ser imunizado contra a Covid-19 - Fábio Motta / Prefeitura

Dos cerca de 20 mil funcionários da Comlurb, quase 14 mil fazem parte de um exército laranja que está por toda a cidade, cuidando da limpeza urbana. Neste domingo (16/05), Dia do Gari, esses profissionais vão ganhar homenagens, como a iluminação especial da estátua do Cristo Redentor, na cor símbolo da companhia. Renato Sorriso, que estará presente no monumento representando seus colegas, pode até ser o funcionário mais famoso, mas na empresa não faltam talentos. Tem dançarino que faz sucesso na internet, servidoras habilidosas com as plantas, cantores elogiados por artistas consagrados e muitos trabalhadores honestos, que se empenham em devolver até boas quantias em dinheiro, quando encontradas no lixo.

A seguir, algumas dessas histórias, começando por Sorriso. Ele ganhou o apelido em 1997, durante o expediente no Sambódromo, no desfile das escolas de samba. Ele chamou a atenção por varrer o lixo na Avenida sambando com sua vassoura. Desde então, concilia sua rotina de trabalho nas ruas com participações em campanhas e eventos da companhia. Em 2012, participou da cerimônia de encerramento dos Jogos Olímpicos, em Londres, ao lado de autoridades.

 

O gari Valdo Luís ficou famoso ao ser flagrado dançando ao som de “Flor de Lis”, enquanto varria uma calçada no Centro do Rio. A coreografia, que acompanhava a apresentação de um saxofonista, foi filmada por uma pedestre e movimentou a internet. Valdo deu entrevistas, participou de programas de TV, e conquistou fãs pelo seu jeito otimista de levar a vida. Até Djavan, compositor da música que embalou seus passos, aprovou a performance e compartilhou o conteúdo – Reprodução de Vídeo

 

Suely Nunes é gari há nove anos. E foi varrendo o Boulevard Olímpico, onde dá expediente todos os dias, que descobriu sua habilidade para recuperar canteiros de plantas. Tanto que, nos últimos meses, trocou a vassoura por utensílios como pá, ancinho e regador para embelezar os jardins do entorno da Praça Mauá. Suely, de 55 anos, sempre cuidou muito bem das orquídeas que cultiva em casa e, percebeu que podia contribuir com o embelezamento da cidade – Ricardo Cassiano / Prefeitura do Rio

 

Aline Fonseca de Pádua, que trabalha há oitos anos na Comlurb, certa vez encontrou uma carteira com documentos e R$ 180 numa rua de Marechal Hermes. Ao percebe a aproximação de um homem com ar de desespero, ela perguntou se ele procurava algo, e ele disse: a carteira. Aline devolveu o material e, muito agradecido, o cidadão elogiou a atitude da funcionária – Arquivo Pessoal

 

Encontrar coisas perdidas nas ruas faz parte da rotina dos garis. A dupla Diego Lázaro e Rafael da Conceição, e o motorista Jonatas Chaves, acharam e devolveram cerca de 780 reais que Lucinete Freitas Silva jogou no lixo sem querer. Ela alertou que o dinheiro poderia estar na caçamba, mas nada foi encontrado. Os funcionários seguiram com a coleta, mas resolveram fazer nova busca, desta vez com sucesso, e voltaram à casa da mulher para entregar o valor – Arquivo Pessoal

 

O gari Leandro da Silva deu muitas entrevistas após devolver os R$ 700 que havia achado durante o trabalho. A aposentada Maria Eli da Silva, conhecida por sempre oferecer água e suco para quem trabalha no local, perdeu o valor numa rua de Realengo, onde Leandro dá expediente. Ele precisou falar com muita gente até lembrar que havia visto a senhora procurando por algo. O dinheiro era para pagar o aluguel da filha, que ficou doente e parou de trabalhar – Arquivo Pessoal

 

A gari Nidia Souza soltou a voz numa versão da música “Olhos Coloridos”, que fala de conscientização. A funcionária, que atua na equipe que realiza o serviço de roçada na área de Campo Grande, recebeu elogios até da principal intérprete da canção, Sandra de Sá – Reprodução

 

Jonaisa D’Ávila nunca fez curso de artes, nem sabia que tinha habilidade com tinta e pincel. Mas pesquisou na internet e passou a transformar pneus velhos em jardineiras coloridas, com desenhos de personagens de filmes e quadrinhos. Seu trabalho fica exposto nas calçadas da cidade e recebe elogios da população –  Arquivo Pessoal

 

A dupla de garis Allan e Maycon aproveita o intervalo do trabalho para soltar a voz. Os dois já fizeram o maior sucesso nas redes sociais pela beleza e, principalmente, pela afinação de Allan. Reprodução

 

 

 

 

 

  • 16 de maio de 2021