Live de especialistas celebra aniversário da Rio-Águas e discute soluções para a drenagem da cidade

Publicado em 23/06/2020 - 13:01 | Atualizado em 23/06/2020 - 13:53
Obra de desvio do Rio Joana, concluída em 2019. Foto: Divulgação Rio-Águas

Em comemoração ao 22º aniversário de criação, a Fundação Rio-Águas promove, nesta terça, às 16h, live com especialistas em drenagem, saneamento e meio ambiente, que discutirá o tema: ‘Desafios da drenagem urbana na cidade do Rio de Janeiro’.

Participarão da transmissão ao vivo: Claudio Dutra, presidente da Rio-Águas; Wanderson Santos, diretor de Estudos e Projetos da fundação; Denise Gomes, diretora de Análise e Fiscalização da Rio-Águas; Paulo Canedo, da COPPE/UFRJ, e Emanuel Alencar, jornalista e assessor de Sustentabilidade do Museu do Amanhã. A live de aniversário será transmitida pela página do Facebook da Rio-Águas (@fundacaorioaguas).

A fundação é o órgão municipal responsável pela gestão e pelo planejamento da drenagem urbana na cidade e atua como ente regulador da concessão dos serviços de esgotamento sanitário em 22 bairros da Zona Oeste.

– O Rio de Janeiro é uma cidade costeira cortada por mais de 260 rios. O planejamento e a gestão da drenagem urbana são importantes para preparar a cidade para enfrentar as fortes chuvas. A Rio-Águas é o braço especializado da prefeitura contra as enchentes, e que trabalha em prol da universalização do esgoto tratado no Rio – destaca o presidente da Rio-Águas, Claudio Dutra.

Uma emblemática chuva, em 1996, foi o marco para que saísse do papel a criação de um órgão especializado no combate às enchentes no Rio de Janeiro. Dois anos depois, a Fundação Instituto das Águas do Município do Rio de Janeiro – Rio-Águas foi criada pela Lei nº 2.656 de 23 de junho de 1998.

Nestes 22 anos, foram realizados dezenas de projetos de drenagem, concluídos estudos técnicos detalhados de todas as bacias hidrográficas e entregues obras importantes, deixando a cidade mais resiliente quanto às chuvas e diante de sua geografia entre o mar e as montanhas.