Defesa Civil do Rio registra 33 chamados por causa das fortes chuvas que atingiram a cidade

Publicado em 21/03/2022 - 12:15 | Atualizado
Cinco sirenes do Sistema de Alerta para Chuvas Fortes foram acionadas no domingo - Divulgação

A Defesa Civil do Rio recebeu 33 chamados da população, entre 15h de domingo (20/3) e 10h30 desta segunda-feira (21/3), após ocorrências de desabamento, queda de árvore, muros ou por rachaduras e infiltrações em residências. Três desses chamados foram no bairro de Realengo, onde uma clínica da família pegou fogo. Ao todo, três interdições foram feitas em Realengo, Ricardo de Albuquerque e Paciência.

Por volta das 19h30 de domingo, cinco sirenes do Sistema de Alerta para Chuvas Fortes foram acionadas nas comunidades Parque Candelária (2), Mangueira, Tuiuti e Telégrafos, todas na Zona Norte. Não foram registradas ocorrências com gravidade nessas localidades. Nestas comunidades, a quantidade de chuva ultrapassou o limite de 40 milímetros em uma hora, determinado pelo protocolo de acionamento das sirenes. Na Mangueira, foram 73,2 milímetros de chuva entre a tarde de domingo e a madrugada de segunda.

Nas comunidades de Acari, Fazenda Botafogo e Parque Colúmbia, por causa do transbordamento do Rio Acari, 13 pessoas, sendo cinco crianças, procuraram os pontos de apoio próximos. A Secretaria de Assistência Social (SMAS) foi acionada para atendimento aos cidadãos.

A Defesa Civil do Rio enviou, às 11h de domingo, um alerta para os mais de 600 mil telefones celulares cadastrados, com o aviso de chuva moderada a forte para o período da tarde por causa da chegada de uma frente fria. Às 18h40, a cidade entrou em Estágio de Atenção.

Realengo foi o bairro com maior número de chamados com quatro, seguido de Campo Grande e Santa Cruz com dois acionamentos. As equipes da Defesa Civil seguem nas ruas realizando as vistorias e atendendo os chamados da população. Em caso de emergências, o órgão pode ser acionado por meio do telefone 199.

  • 21 de março de 2022