Coronavírus: Prefeitura fiscalizou comércio em Campo Grande nesta quarta, 15/04

Publicado em 15/04/2020 - 13:39 | Atualizado em 15/04/2020 - 14:28
Fiscais da Seop flagram loja não autorizada a funcionar em Campo Grande. Foto: divulgaçãoFiscais da Seop flagram loja não autorizada a funcionar em Campo Grande. Foto: divulgação

A Prefeitura do Rio de Janeiro, por meio de ações conjuntas da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), fiscalizou nesta quarta-feira, 15/04, o comércio de Campo Grande, na Zona Oeste. O bairro lidera o número de chamados ao Disk Aglomeração desde o lançamento do serviço, há duas semanas. O objetivo das operações é frear o avanço do novo coronavírus (Covid-19) na cidade, verificando o cumprimento do decreto municipal de enfrentamento à pandemia que suspende as atividades de estabelecimentos não essenciais e de ambulantes, e traz medidas restritivas ao funcionamento dos essenciais, que devem evitar aglomerações e obedecer os horários escalonados.

 

Prefeitura do Rio lança whatsapp 1746 para denúncias do Disk Aglomeração

 

Parcial

Até o fim da manhã, pelo menos seis estabelecimentos não essenciais tinham sido fechados (duas lanchonetes e lojas de móveis, eletrônicos, biscoitos e de produtos naturais). Uma barraca de caldo de cana também teve sua atividade interrompida, com apreensão da moenda, e outros ambulantes estão sendo orientados a se retirar. Entre os estabelecimentos essenciais, um hortifrúti foi notificado por expor mercadoria na calçada, obstruindo a circulação de pedestres.

Acumulado

Até esta terça-feira (14/04), a Seop registrou o fechamento de 2.592 estabelecimentos dos 3.397 fiscalizados em 61 ações conjuntas em toda a cidade. A suspensão do comércio é por tempo indeterminado. Entre as exceções estão supermercados e hortifrútis, padarias (sem consumo no local), e pet shops, seguindo horários especiais de funcionamento. A lista completa pode ser verificada neste link, clique aqui.

Órgãos

A força-tarefa coordenada pela Seop conta com efetivos da sua Subsecretaria de Operações (Subop); da Guarda Municipal; da Subsecretaria de Licenciamento, Fiscalização e Controle Urbano, vinculada à Secretaria Municipal de Fazenda; além da Subsecretaria de Vigilância Sanitária, que integra a Secretaria Municipal de Saúde, da Comlurb e da Polícia Militar, de acordo com a necessidade operacional.

 

Campo Grande é um dos bairros onde mais há denúncia de aglomeração, e a Seop tem coibido. Foto: divulgação
Campo Grande é um dos bairros onde mais há denúncia de aglomeração, e a Seop tem coibido. Foto: divulgação

 

Disk Aglomeração: mais de dois mil atendimentos em duas semanas

Coordenado pela Seop, o Disk Aglomeração realizou 2.096 atendimentos em 15 dias de funcionamento. N terça (14/04), os bairros mais demandados foram: Campo Grande, Realengo, Bangu, Centro, Santa Cruz, Tijuca, Copacabana, Taquara, Barra da Tijuca e Madureira.

O serviço funciona com base em chamados para a Central 1746 e, na última semana, ganhou um reforço tecnológico: o uso de sinais de celulares para detectar pontos de aglomeração, a partir de uma parceria com a operadora de telefonia TIM e o Centro de Operações Rio (COR). Para saber mais sobre o funcionamento, clique aqui.