Coronavírus: mais de 400 toneladas de equipamentos comprados da China ficarão de legado para a cidade

Publicado em 01/05/2020 - 18:49 | Atualizado em 01/05/2020 - 18:51
Os equipamentos já estão embalados e prontos para o embarque na China. Foto: Divulgação

O prefeito Marcelo Crivella destacou nesta sexta-feira (01/05) que as mais de 400 toneladas de equipamentos comprados pela Prefeitura desde agosto do ano passado, fundamentais na luta contra o coronavírus, vão ficar de legado para cidade quando a pandemia chegar ao fim. Inclusive os que fazem parte do hospital de campanha, inaugurado hoje no Riocentro. Esses aparelhos vão para um novo hospital, a ser montado em local ainda em estudo.

Os equipamentos fazem parte de um investimento de R$ 370 milhões da atual gestão na renovação do parque tecnológico das unidades de saúde da rede municipal. Ao todo, foram comprados mais de 18 mil itens, entre eles 27 tomógrafos.

– Esses equipamentos vão ser acrescentados ao patrimônio da civilização carioca e, com certeza, salvar muitas vidas. Muita coisa já chegou de navio, chegou também em voo, e outros aparelhos estão vindo em voos da Latam – disse o prefeito Marcelo Crivella.

Na quarta-feira (29/04), Crivella recebeu, no Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão), um lote com 10 tomógrafos  que serão usados para ajudar, com precisão, no diagnóstico da Covid-19. Também chegaram ao município 110 aparelhos de Raio X digital e 20 autoclaves de 100 litros.
Além disso, um voo da Vale , que parte da China neste sábado (02/05), vai trazer 200 respiradores e 40 monitores.

Em outros dois voos da Latam que a Prefeitura fretou, virão mais 300 respiradores, 70 carrinhos de anestesia, 400 monitores e um milhão de EPIs, entre máscaras (cirúrgicas e comuns) e outros itens de proteção para os profissionais dos nossos hospitais. São 160 toneladas de equipamentos de saúde, o equivalente a investimentos da ordem de US$ 300 milhões ( R$ 1,6 bilhão).