Centro de Operações Rio instala sensor inteligente para monitorar alagamentos no Itanhangá

Publicado em 22/02/2021 - 17:22 | Atualizado
  • Início/
  • /
  • Centro de Operações Rio instala sensor inteligente para monitorar alagamentos no Itanhangá
Ferramenta foi criada a partir de desafio de startups promovido pelo COR - Divulgação/Prefeitura

O Itanhangá ganhou um aliado inteligente no monitoramento dos impactos das chuvas de verão. O Centro de Operações Rio (COR), em parceria com a startup NOAH Smart City, disponibilizou um sensor automático capaz de medir, classificar e divulgar, em tempo real, a altura do nível da água em vias públicas. Chamado de NOAH flood, o equipamento ficará na Estrada do Itanhangá, próximo do Itanhangá Golf Clube. O local foi escolhido pelo histórico de registros de alagamentos e, a partir do monitoramento do nível d’água, será possível emitir diferentes tipos de alertas para as equipes da prefeitura que atuam no COR.

Segundo o Alerta Rio, a região do Itanhangá está entre os locais onde mais choveu em um período de 24h na cidade, com 335,2mm de precipitação apenas em um dia, registrados em abril de 2019. Os dados confirmam o histórico de chuva severa e concentrada na região. O novo chefe-executivo do Centro de Operações Rio, Bruno Ramos, defende o uso contínuo de soluções inovadoras para minimizar o impacto das chuvas intensas.

“Para lidar com alagamentos são necessárias várias frentes de atuação e uma delas é o apoio a tecnologias capazes de captar, processar e informar dados sobre a chuva em tempo real. Velocidade na informação é um fator que pode salvar vidas e evitar maiores prejuízos em dias chuvosos”, explica o novo chefe executivo do COR, Bruno Ramos.

A primeira região da cidade a receber o projeto foi o Catete, na Zona Sul, em 2019. Desde então, este equipamento emite dados para o telão do COR e informa se o acúmulo de água é um bolsão, alagamento ou enchente. Agora, a Zona Oeste tem uma de suas regiões coberta por uma solução inovadora, auxiliando o Centro de Operações Rio a tomar decisões que guiam as equipes operacionais.

Funcionamento do sensor

Com o objetivo de agilizar ações em dias de chuva forte, o NOAH flood é instalado em regiões com histórico de alagamento. O aparelho é fixado em um poste e fica a 1,5 metro de distância do meio fio. Com uma rede de sensores que mede a altura d’água na superfície, assim que a chuva começa, seu sistema é acionado automaticamente e, em seguida, dispara sinais a cada dois minutos com os níveis de altura da água – inclusive sobre a velocidade de escoamento.

Além disso, dependendo da configuração com que ele for montado, é possível monitorar outras informações como a quantidade de chuva (se transformar em um pluviômetro); a temperatura, umidade e pressão daquela área; a velocidade do vento e até mesmo identificar se há corrente elétrica na água.

Da rua para o telão do COR, os alertas são emitidos de acordo com a formação de bolsões d’água, alagamento e enchentes. Os pontos críticos são classificados em normal, médio ou alto, com encaminhamento para o telão de controle do COR.

Sobre a startup NOAH Smart City

No fim de novembro de 2018, a empresa foi a vencedora do “Primeiro Desafio COR: Smart City, Smart People”, o programa de aceleração do COR em parceria com a IplanRio e a Secretaria Municipal de Fazenda. O desafio propôs a solução de problemas da cidade por ideias elaboradas pelas startups.

  • 22 de fevereiro de 2021