Abrace o Rio promove desfile de inclusão social que reúne pessoas com síndrome de Down e autismo

Publicado em 30/11/2019 - 19:54 | Atualizado em 02/12/2019 - 11:04
Desfile de inclusão social no Palácio da Cidade.Desfile de inclusão social no Palácio da Cidade. Foto: Hudson Pontes / Prefeitura do Rio

A primeira-dama da cidade do Rio de Janeiro e coordenadora da Obra Social Abrace o Rio, Sylvia Jane Crivella, promoveu na tarde deste sábado (30/11) a segunda edição do desfile inclusivo Juntos e Misturados. Todos os 20 modelos que participaram são crianças, jovens e adultos com síndrome de Down ou autismo, atendidos por instituições como a APAE Rio, Amadinhos Down, É Nóis na Fita e Obra Social Dona Meca. A renda angariada pelo evento, realizado no Palácio da Cidade, em Botafogo, será revertida para a Dona Meca.

– Estamos hoje aqui no Palácio da Cidade, nesta tarde de sol lindo, onde crianças, jovens e adultos com Síndrome de Down e autismo vão desfilar. Isso se chama inclusão e inclusão é um ato de amor.  Cada uma das pessoas aqui presentes está ajudando a construir um futuro melhor para estas crianças – afirmou Sylvia Jane Crivella.

Beijos para a plateia

O clima antes do desfile era de felicidade e muita empolgação. Uma das salas do Palácio foi “transformada” em camarim onde os modelos se vestiam e eram maquiados. Uma personal stylist e uma maquiadora voluntárias ajudavam os envolvidos a se prepararem para o desfile que começou às 16 horas. Com muita tranquilidade e alegria, os modelos entraram no salão. Alguns jogavam beijos para a plateia enquanto outros caminhavam com determinação.

– Estou me sentindo um artista porque desfilar é como estar em um teatro – contou Bruno Paixão Corrêa, de 11 anos, que antes da apresentação andava pelo Palácio em busca de princesas – Já olhei em cada cantinho, mas não encontrei.

Anna Sophia Gomes, de 8 anos, esperava a hora de ser maquiada. Era a primeira vez que a menina se pintava e ela não sabia bem como iria se sentir. De vestido florido e longos cabelos negros, Anna deu um show minutos depois na passarela instalada em um dos salões do Palácio.

– Estou me sentindo ótima, muito feliz. Sou uma modelo – comemorou a menina.

Pais e mães acompanhavam com ansiedade os preparativos. O contador Fábio Roberto da Silva ficou ao lado do filho, Paulo Vitor, durante toda a espera pelo início do desfile. Ele estava preocupado sobre com a emoção do menino de 11 ao se deparar com a plateia.

– Não sei como o Paulo vai reagir, mas precisamos acreditar. Acreditar nele e na inclusão como forma de mostrar que estas crianças podem muito mais – disse Fábio, que instantes depois comemorava o sucesso da participação do filho no desfile.

A Instituição

A Obra Social Dona Meca funciona há 27 anos na Taquara, Zona Oeste. A iniciativa da Abrace o Rio vai beneficiar cerca de 200 crianças e adolescentes com algum tipo de comprometimento motor ou intelectual atendidos gratuitamente pela entidade, que também acolhe mais 40 crianças em seus abrigos, Casa Lar Dona Meca e Casa Lar Balthazar. A instituição oferece atendimento de neurologia pediátrica, psicologia, psicopedagogia, fisioterapia, psicomotricidade, fonoaudiologia, além de serviços de apoio para os pais. Atualmente conta com ajuda da iniciativa privada e de voluntários para se manter.

– Eu sempre acreditei que é possível fazer diferente e melhor. Esse pensamento me estimulou a fundar a Dona Meca – afirmou Rosangela Chacon Pereira, presidente da instituição – Esse apoio que estamos recebendo da primeira-dama é sensacional, um reconhecimento do trabalho que desenvolvemos com tanto carinho. Essa doação é muito importante e será destinada aos gastos do final do ano.